Ficção de Pernambuco e documentário que apresenta trajetória de primeiro rapper gay do Brasil são eleitos os melhores filmes por júri especializado

 image

O filme O Delírio é a Redenção dos Aflitos (PE), com direção de Fellipe Fernandes, e o documentário Mademoiselle do Rap (GO), dirigido por Raphael Gustavo da Silva foram eleitos os melhores filmes da 16ª Goiânia Mostra Curtas. A cerimônia de premiação foi realizada na noite deste domingo (9), no Teatro Goiânia, após seis dias de atividades gratuitas, com exibição de filmes, palestras, oficinas, laboratórios entre outros.

De acordo com o regulamento do festival, os premiados são contemplados com produtos e serviços concedidos por empresas da indústria cinematográfica. “A intenção é estimular e fomentar a produção de novos curtas-metragens”, conforme destacou a diretora geral, Maria Abdalla.

O Delírio é a Redenção dos Aflitos ganhou na categoria de Melhor Filme da Mostra Brasil. O filme de ficção narra a história de Raquel, uma moradora de um prédio-caixão condenado por risco de desabamento. Última residente a permanecer no edifício, a protagonista precisa se mudar o quanto antes para garantir a segurança de sua família.

Para eleger o filme, os jurados consideraram a potência da linguagem cinematográfica, o domínio narrativo e a criação de um preciso diálogo entre personagem e espaços.

 Já o goiano Mademoiselle do Rap é um documentário que mostra a vida e trajetória de Lulu Monamour, que se auto-intitula o primeiro rapper gay do Brasil. O júri destacou que a obra trata de questões afirmativas urgentes e traz força e carisma na personagem central.

Os filmes foram exibidos entre os dias 4 e 9 de outubro, em 14 sessões gratuitas no Teatro Goiânia. Neste ano, houve um recorde de inscritos: o festival recebeu mais de 1400 mil submissões de 23 Estados e Distrito Federal, tendo selecionado 81 para compor as cinco mostras.

A 16ª Goiânia Mostra Curtas teve patrocínio da Oi e Rodonaves Transportes; incentivo da Lei Goyazes, Fundo de Arte e Cultura de Goiás, Seduce Goiás, Governo de Goiás, Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Goiânia; e apoio da Oi Futuro, Unimed Goiânia e Sebrae Goiás.

Balanço

Durante a semana, mais de 10 mil pessoas passaram pelo Teatro Goiânia para assistir às 14 sessões de cinema e 14 atividades formativas oferecidas pela 16ª Goiânia Mostra Curtas – todas com entrada franca. Foram cinco mostras, sendo quatro competitivas – Curta Mostra Brasil, Curta Mostra Goiás, Curta Mostra Municípios e 15ª Mostrinha, –e uma especial, com a temática neste ano dedicada ao Cinema Negro Brasil Contemporâneo.

Durante os dias de evento, foram lançados, ainda, cinco livros voltados ao audiovisual. Participaram 100 convidados, entre cineastas, diretores, roteiristas, realizadores, produtores e críticos de cinema. Com o objetivo de oferecer uma troca de experiências com o público, foram oferecidos três encontros de realizadores. (Lilian Cury)

Premiação

Curta Mostra Brasil

JÚRI OFICIAL

Melhor Curta-Metragem: 
O delírio é a redenção dos aflitos (PE) – 2016 – Fic – 17 min. Direção: Fellipe  Fernandes

Melhor Direção: 

Retrato de Carmem D (RJ) – 2015 – Doc – 22 min. Direção: Isabel Joffily

Prêmio Especial do Júri:

Kbela (RJ) – 2015 – exp – 23min. Direção: Yasmin Thayná

Menção Especial:

Ruína (RJ) – 2016 – Exp – 14 min. Direção: Gabraz

JÚRI SESC TV

Melhor Filme: Ingrid (MG) – 2016 – Doc – 07 min. Direção de Maick Hannder

JÚRI POPULAR
Retrato de Carmem D (RJ) – 2015 – Doc – 22 min. Direção: Isabel Joffily

 

Curta Mostra Municípios

JÚRI OFICIAL

Melhor Curta-Metragem: 

Rua Cuba (Jaboatão dos Guararapes/PE) – 2016 – Fic – 20 min. Direção: Filipe Marcena

Melhor Direção: 

Um Pouco a Mais (Juiz de Fora/MG) – 2015 – Fic – 23 min. Direção: Aleques Eiterer

Prêmio Especial do Júri

Quem Chegar por Último (Rio Claro/SP) – 2015 – Fic – 15 min. Direção: Rogério Borges

Por flertar com a linguagem documental nos transportando ao cotidiano dos meninos do filme

Menção Honrosa

Mata Norte (Goiana/PE) – 2015 – Doc – 24 min. Direção: Tuca Siqueira

JÚRI POPULAR
Um Pouco a Mais (Juiz de Fora/MG) – 2015 – Fic – 23 min. Direção: Aleques Eiterer

 

Curta Mostra Goiás

JÚRI OFICIAL

Melhor Curta-Metragem: 

Mademoiselle do Rap (GO) – 2016 – Doc – 20 min. Direção: Raphael Gustavo da Silva

Melhor Direção:

E o Galo Cantou (GO) – 2016 – Fic – 23 min. Direção: Daniel Calil

Prêmio Especial do Júri: 

Enzo (GO) – 2016 – Fic – 17 min. Direção: Daniel Sena

JÚRI POPULAR

Tartarus (GO) – 2016 – Fic – 15 min. Direção: Cássio Domingos

 

15ª Mostrinha

JÚRI POPULAR
Caminho dos Gigantes (SP) – 2016 – Ani – 12 min. Direção: Alois Di Leo

Crédito das fotos:

João Paulo Cardoso e Dan Santos.

Foto 1. Dora Amorim, produtora, de blusa amarela, representando O delírio é a redenção dos aflitos.

Foto 2: equipe de Mademoiselle do Rap