olhares certo

A arte “persegue o que os olhos não alcançam”. Através das inúmeras vozes que falam através do pincel, impactados com os traços de cores vivas que bailam desnudas na contradição da vida intensa, na excentricidade delirante dos sentidos e sobretudo na subversão poética dos costumes que é a raiz das artes plásticas no mundo contemporâneo, esse é o conceito da 1ª Exposição Identidade Urbana — Olhares Individuais.

O projeto que vislumbra, de forma poética e reflexiva, dialogar com o público os sabores e dessabores do mundo contemporâneo, o contato direto e intenso com a beleza (lírica e até mesmo aquela beleza às avessas que os simbolistas traduziam como “decadentismo”), interagir com as novas e clássicas formas de produzir arte, traçar um painel interessante de produção contemporânea mesclando artistas que trabalham com diversas formas, técnicas e conceitos, incorporando o underground — a cultura da rua — com o clássico. A ideia é ocupar diversos lugares.

A primeira exposição será na 588 Art Show e depois irá partir para outros lugares. Portanto, são 13 artistas expondo trabalhos no campo pictórico, cada um com um olhar diferente, e apresentação musical de Nathan Mendes,  João Pedro tapuio e Rheuter. (Diego El Khouri)

Artistas:

Diego El Khouri (curador da mostra) – Artista plástico, poeta, cartunista.Mantém alguns fanzines em atividade e é colaborador de diversas publicações alternativas do Brasil  além de antologias poéticas e revistas culturais. Participou ativamente de grupos de poesia, no Rio de Janeiro, como a Pelada Poética (organizado pelo ator e poeta Eduardo Tornaghi) e Rato di versos (um sarau bastante conhecido na Lapa e criado pelo poeta Dudu Pererê).  Vem expondo seus trabalhos no Brasil e no exterior. Recentemente foi curador da  XVIII Exposição Coletiva do Mosarte (Instituto Cultural Movimento Santuário da Arte).

Alessandra Favoritto – Suspender, boy piercer, tatuadora  e artista plástica. Tem investigado métodos empíricos de ensino de desenho. Sua pesquisa pautada em temas como a morte, gênero e no confronto da  realidade com a ficção. Grande parte dedicada à técnica de lápis de cor.

Fábio Prado – Artista plástico, pintor, muralista, grafiteiro, escultor e restaurador. Atuou como gestor cultural em Bento Gonçalves (RS) e possui obras no Brasil e exterior. Seu estilo é voltado para o expressionismo e abstracionismo figurativo. Atualmente trabalha com um estilo de arte conceitual transcendental contemporânea que explora a intervenção urbana e os aspectos do indivíduo.

Gustavo Gonçalves – Artista plástico e designer gráfico. Seu trabalho é permeado de subjetividade com fortes influências oníricas, modificando o real à procura de novos significados. Sua arte projeta um mundo interior, pontos distantes que se ligam despertando sensações variadas, provocando uma espécie de “lisergia visual” e fazendo com que a percepção transcenda o raciocício lógico e acesse o universo dos sonhos.
Hal Wildson – Autodidata no mundo das artes, as bases da sua produção partem essencialmente da literatura, fotografia, colagem e pintura. Voltados para as poéticas urbanas e o existencialismo, o resultado final é o que denomina de poético-visual. O objeto da sua pesquisa constitui-se a partir da criação de uma esfera poética ligada ao ‘eu-criador’ e a investigação sobre a existência e a invenção do amor, as práxis literárias orientam a produção visual à medida que a composição final resulta em ‘poemas pictográficos’.
Ivan Silva – Artista plástico, poeta, cartunista e músico. Foi membro (baterista/compositor) da banda de rock n’ roll Malzdreams e hoje é aluno de flautas no Centro de Educação Profissional em Artes Basileu França. Nas artes plásticas trabalha com tinta a óleo e  pastel seco. Sua pintura  é a junção entre o sonho e realidade.
Jorginho A. Rocha – Artista plástico e músico. Cursou artes visuais  na escola de Artes  Veiga valle. Traz na pintura a sua forma de expressão, abrangendo técnicas mistas, trabalhos realistas, focados na sua admiração pela natureza , tendo como referência grandes mestres da pintura como  Monet, Van Gogh, Renoir, Dali, entre outros. Grande parte dos seus estudos e esboços, são executados em aquarela, destacando-se pela leveza e dinamismo. Seu ponto forte é pintura a óleo, na qual capta e distribui com esmero a energia vivida de seu trabalho minucioso e detalhista, espelhado na perspectiva de suas vivências e ideais.

Markus Meneral – Artista plástico e tatuador. Artista de personalidade e discurso intenso, que reflete na complexidade visceral de seus trabalhos. Desenha, pinta, experimenta materiais, resultando em arrebatedora mistura de cores e grafismos.
Renato Grifith – Artista plástico e poeta. Vem compondo diversos trabalhos na pintura e desenho mesclando o impressionismo e realismo.

RJunior – Artista plástico e educador. Nos últimos anos  a Colagem e o Desenho tem sido sua principal forma de produção. Com tesoura, recortes, cola, canetas, lápis e materiais alternativos resgata memórias e questiona valores humanos. A série atual de produção intitulada “O quê você tem na cabeça?” transita neste terreno reflexivo.

Simião Mendes – Simião Mendes nasceu em Goiânia em 1984. Começou a pintar aos 20 anos. Depois de uma longa pausa, retornou aos pincéis e às telas em 2014. Em 2016 expôs seu quadro “Vertigem no Beco” na XVIII Exposição coletiva do Instituto Mosarte/GO. Além de pintor, é poeta, músico e vocalista da banda de rock n’ roll Vandalismo Poético.

Sumaia El Khouri – Artista plástica e educadora. Trabalhou durante 17 anos na área de educação chegando a ser secretária da educação de Orizona (GO). Utiliza-se de vários materiais para sua criação artística. Lápis de cor, canetas coloridas, agulhas, esmaltes, etc.

Tati Almeida – Design de interiores e artista plástica.  Descobriu na Colagem o paraíso de desconstruir e reconstruir, o aquietar o pensamento, o navegar das ideias, o alívio do peso do mundo. Seu primeiro contato com a técnica da Colagem foi  em Setembro de 2015 em um curso com João Colagem. Foi um relacionamento de leveza, ancorado com a tesoura, a cola e o papel! Participou da 11ª Exposição de Colagem Coletiva no SESI Ferreira Pacheco-GO no ano de 2016.