A arquitetura Art Déco difundiu-se no Brasil entre os anos 1930 e 1940, com influência parisiense, antecipando elementos da arquitetura moderna das décadas seguintes.  Os principais acervos deste estilo no Brasil concentram-se no Rio de Janeiro, em São Paulo e na nossa capital Goiânia. Há também importantes exemplos em Campo Grande, com a obra do arquiteto Frederico Urlass; em Belo Horizonte ou Juiz de Fora, nos projetos do arquiteto Raphael Arcuri, e em Porto Alegre, na Avenida Farrapos.
Em Goiânia, os acervos Art Déco se encontram no Centro da capital e no setor Campinas. O “Teatro Goiânia” e a “Estação Ferroviária” são exemplos marcantes de monumentos neste estilo, similares aos antigos teatros odeons ingleses. Ambos os prédios goianos foram tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).
Outros patrimônios Art Déco de destaque na capital são a “Torre do Relógio” da Avenida Goiás e a “Mureta” (também chamado guarda-corpo) do Lago das Rosas, que possuem relevos muitos expressivos característicos do estilo arquitetônico da década de 30. O traçado único foi baseado nos modelos franceses de ruas largas, lineares, com pracinhas e muito verde. Tal como é Goiânia hoje!
Toda essa expressividade arquitetônica, artística e cultural da nossa capital terá destaque durante o Goiânia Art Déco Festival, entre os dias 18 e 26 de maio. Serão 9 dias de exposições, debates, mostra documental, oficinas, feiras de antiguidades, entre outras atividades para se apaixonar ainda mais pelo patrimônio. Programação completa no facebook: @goianiaartdecofestival.
A região central de Goiânia está repleta de Art Déco. Selecionamos 20 deles e suas curiosidades para você aprender mais e começar a observar a cidade com outros olhos!
1 – Trampolim   
Ponto de lazer, recreação e competições no inicio dos anos 40. Este é o único exemplar no mundo do estilo Art Déco.
2 – Mureta
Marca divisão entre Goiânia e Campinas. A mureta é ornada por flores que representam a rosa dos ventos.
3 – Teatro Goiânia
Palco do primeiro batismo cultural de Goiânia, que durou 10 dias. Seu desenho é inspirado em um transatlântico.
4 – Grande Hotel
Primeiro hotel Art Déco da capital. O prédio hospedou várias autoridades políticas, arquitetos e engenheiros. Hoje, o monumento concentra atividades culturais como o Chorinho, todas às sextas.
5 – Torre do Relógio
Único relógio no estilo Art Déco e fica na famosa Av. Goiás, próximo à praça cívica. Foi utilizado como referência de tempo pela população.
6 – Coreto
É tido como uma pequena joia do movimento Déco. Espaço dedicado a bandas de metais e pequenos corais. Já foi palco para grandes eventos e manifestações públicas no centro de Goiânia.
7 – Tribunal Regional Eleitoral
Antigo Juízo Eleitoral, foi inaugurado em 1937. Nos anos 90, foi construído um anexo ao fundo sem alterar o original.
8 – Fonte Luminosa
Localizadas na Praça Cívica, as fontes passaram por uma recente reforma. A semelhança desta Fonte pode ser vista em um exemplar no Jardim de Alá no Leblon, no Rio de Janeiro.
9 – Museu Pedro Ludovico Teixeira
O museus na verdade é Casa do pedro Ludovico Teixeira. Sim, ele morou lá. E hoje virou um museu deste grande interventor de Goiânia. É um forte exemplar Art Déco de moradias.
10 – Chefatura de Policia
Atual Procuradoria-Geral do Estado com um interessante realça em sua fachada Déco. Inaugurada em 1937, a fachada é sóbria e clássica, com formas compactas, linhas retas e utilização de jogos de volumes. Outro detalhe neste prédio são as sobrevergas nas janelas, os capiteis quadrados nas colunas das fachadas e as esquadrias da porta com desenhos florais.
11 – Fórum e Tribunal de Justiça
A parte da galeria do prédio no fundo faz interação com o Palácio e o Centro Cultural. O monumento foi inaugurado em 1942.
12 – Palácio das Esmeraldas 
Projetado por Attílio Correa Lima, em 1933, o prédio já foi cenário até para novela da Globo. Na parte externa do monumento foi utilizado pó de pedra verde.As principais intervenções do edifício ocorreram na década de 1960, quando o revestimento de pó de pedra verde foi substituído por pequenos pedaços de garrafa verde.
13 – Luminária
Duas luminárias revestidas de pó de pedra verde fazem parte do centro da Praça Cívica, marco zero da capital.
14 – Secretária Geral (Cine Cultura)
Mesma fachada de seu vizinho, o antigo fórum que faz interação com o Palácio. Abriga o popular  cine Cultura.
15 – Museu Zoroastro Artiaga
Projeto do arquiteto polonês Kazimierz, o Museus goiano Zoroastro Artiaga passou a ter existência formal em junho de 1965. O nome faz homenagem ao professor Zoroastro, primeiro diretor do museu.
16 – Ministério da Fazenda
Inaugurada em 1937, este prédio de aspecto totalmente moderno, ajuda a compor o conjunto em torno da Praça.
(divulgação)
17 – Lyceu de Goiânia
Exemplar Decó/Colonial direcionado a prédios públicos de ensino. Ilustres personalidades estudaram no Lyceu.
18 – Escola Técnica – IFG
Antiga Escola Técnica. De janelas à moda de escotilhas, o edifício fez parte das comemorações do Batismo Cultural. De CEFET, hoje é Instituto Federal de Goiás.
 
19 – Estação Ferroviária
Último exemplar  do movimento Déco, de 1952. No saguão, dois afrescos do pintor Frei Nazareno Confaloni. A estação é tão especial para o patrimônio Art Déco de Goiânia que foi tema do pôster oficial do primeiro festival Art Déco no Brasil, que vai acontecer em Goiânia de 18 a 26 de maio.
20 – Traçado Urbanístico
O traçado urbanístico do centro da capital também recebeu reconhecimento do Iphan, onde concentram as principais construções Art Déco. Por sua forma, há quem compare o desenho ao formato do manto de Nossa Senhora ou, em casos mais peculiares, ao símbolo da maçonaria. Mas são apenas teorias da conspiração.