Alunos utilizam aplicativos com conteúdo escolar para os auxiliarem nos estudos

 

Dados divulgados pelo IBGE este ano mostram que o telefone celular se tornou o principal meio de acesso à internet nos domicílios brasileiros. De acordo com a pesquisa, já em 2014, 80,4% dos lares se conectavam a web pelo celular. Esses números refletem o desenvolvimento da internet móvel e a maior facilidade em adquirir smartphones. Diante deste cenário, muitos dos serviços que antes eram pensados para estarem disponíveis no computador agora são preparados em formato de aplicativo para o celular.

Basta ter um smartphone em mãos que é possível pedir um táxi, contratar um serviço delivery de comida, pagar contas bancárias, editar vídeos, ler notícias, entre tantas outras ações presentes no nosso dia a dia. Atualmente, a escola também se apropriou desse método e usa a seu favor o relacionamento cada vez mais estreito dos alunos com o aparelho móvel para motivá-los no estudo. Um exemplo disso é o SAS App – aplicativo do Sistema Ari de Sá de Ensino (SAS), que, em menos de um ano, já acumula cerca de 70 mil downloads.

Só no último fim de semana, foram cerca de 3 mil novos downloads em razão da 1ª Avaliação Acadêmica Sistemática – avaliação que mede o grau de aprendizado dos alunos – aplicada a todas as escolas parceiras do Sistema. A quantidade de usuários que baixaram o app fez com que o SAS App ocupasse o 2º lugar entre os aplicativos mais procurados na Apple Store, durante 24 horas.

O sucesso de downloads do aplicativo está diretamente ligado ao conteúdo oferecido pela plataforma. Nela, os alunos podem conferir os resultados e relatórios das avaliações assim que finalizam as provas e simulados aplicados pelo SAS, além de revisar conteúdos dados em sala de aula por meio de conteúdos digitais, videoaulas – são mais de 1.500 disponibilizadas pela SASTV – entre outros recursos disponíveis no aplicativo. 

“Essas ferramentas foram desenvolvidas para potencializar o conhecimento adquirido na escola. Até para o Ensino Infantil nossos livros interagem com aplicativos, tornando a experiência da leitura com a criança mais dinâmica. E isso nós cultivamos até o Ensino Médio com ferramentas que buscam aprimorar o aprendizado, seja identificando as dificuldades dos alunos de maneira personalizada, como faz a Plataforma Adaptativa, ou propondo um planejamento de estudo de acordo com as habilidades e lacunas de cada aluno, como acontece na ferramenta Plano de Estudos que integra o SAS App”, explica Ademar Celedônio, diretor de ensino e tecnologia educacional do Sistema Ari de Sá.

O caminho para o desenvolvimento está no bom uso das tecnologias. E, com a educação, não é diferente. Aprender a aliar tecnologia e ensino de maneira responsável é o principal desafio nos dias de hoje. O acesso à informação cresce, contudo, a quantidade de dados incorretos também aumenta. Sendo assim, o papel da escola, que antes era apenas transmitir conteúdo, passa a ser o de ensinar e orientar, visando discernir as informações disponíveis na rede. “Os professores não precisam ter medo de serem substituídos pela tecnologia. Eles precisam se preparar para que a tecnologia seja mais uma ferramenta que os ajudará a formar o conhecimento de cada aluno”, conclui Ademar. (Máquina Cohn & Wolfe)