Kasane

(divulgação)

Projeto arrecada fundos para tratamento fisioterápico de jovem com transtorno do espectro autista (TEA) que passou por cirurgia de correção da coluna

A Associação Espaço Vida, instituição sem fins lucrativos que acolhe crianças, jovens e adultos com Transtorno do Espectro Autista (TEA), síndrome de Down e Atraso Global do Desenvolvimento, lança o Projeto Anjo Vida. A iniciativa tem como objetivo realizar ações que beneficiem e apoiem os assistidos pela entidade. “O Projeto Anjo Vida é o ponto de encontro entre aqueles que querem colaborar para proporcionar algo essencial e importante a alguém. Ajudar o próximo dá significado a nossa existência e a gratidão faz coisas maravilhosas acontecerem”, acreditam a presidente Karina Civile Pereira e a coordenadora da Espaço Vida, Karla Franco.

Nessa primeira edição, o Anjo Vida tem como foco a arrecadação de fundos para o tratamento do adolescente Vitor Hugo Barbosa de Castro, de 18 anos. Nascido com atraso global de desenvolvimento, transtorno do espectro autista (TEA), microcefálico e epiléptico, o jovem ainda apresenta atrofia cerebral cortical difusa. Em 2019, realizou um procedimento cirúrgico com alto risco de ficar paraplégico, com a inserção de hastes e parafusos metálicos para a correção da escoliose e sustentação da coluna, já que os músculos fracos não a suportam.

Agora, Vitor Hugo precisa entrar no programa de fisioterapia intensiva de alto custo – estimado em torno de R$ 77 mil reais -, pelo Método Therasuit, para fortalecer o corpo e controlar a deformação da coluna na região do pescoço. “Ele é um adolescente iluminado e de uma doçura infinita, que dá um sorriso para cada pessoa que encontra. Sem a terapia o Vitor Hugo poderá acentuar a deformidade da coluna cervical até encostar o queixo no peito. Com isso, perderá seu equilíbrio para andar e passará a se alimentar por sonda”, explica Karla, sobre a necessidade do tratamento. Atualmente, o jovem tem dificuldade para se alimentar e, sem a terapia, poderá ter os quadros de desnutrição e sarcopenia intensificados, aumentando muito o risco de morte.

“Precisamos de ajuda para garantir os primeiros 6 meses de tratamento, até que a família consiga que o plano de saúde cubra o procedimento”, ressalta Karina. A arrecadação está sendo realizada através de doações. Quem ainda quiser ajudar com qualquer valor, pode depositar ou transferir para a conta da Associação, no Banco Sicoob (756), agência 50044, conta corrente 1.013.439-5. Mais informações podem ser obtidas pela rede social @espacovidagyn