SAMYRA CRISTINA DA CUNHA

Iniciativa que apoia os profissionais do entretenimento estimula a produção criativa de artistas visuais e da música.

Como forma de seguir contribuindo com os profissionais e artistas nesse período complicado para o setor, a Jägermeister desenvolve mais uma iniciativa dentro da plataforma #SaveTheNight, conjunto de ações globais da marca para reforçar a importância do isolamento social e incentivo à cultura durante estes tempos sensíveis. A proposta é estimular o desenvolvimento criativo de alguns artistas, gerando conteúdo relevante para o público e contribuindo com o profissional através do financiamento do projeto e divulgação. Durante o mês de junho, a marca irá promover estas ideias que terão como foco a habilidade do participante.

Com início na primeira terça-feira do mês (02/06), o novo projeto é aberto pelo convidado de honra Fernando Schlaepfer, conhecido em todo território nacional por seu grande talento na fotografia e trajetória musical. O artista falará sobre suas múltiplas habilidades e sobre os processos utilizados em seu projeto de auto-retratos dentro da fotografia. Na semana seguinte, Bruno Kioshi contará um pouco de sua história, mostrando sua originalidade e habilidade na percussão com seus famosos “buckets”. Falando um pouco sobre pintura, graffiti e artes plásticas, o projeto conta também com o apoio da Dionisio.AG – agência especializada em arte – na curadoria, logística e produção dos artistas Agatha de Faveri e Apolo Torres para o #SaveTheNight. As apresentações serão lançadas no Instagram dos próprios artistas e da Jägermeister .

A iniciativa dá sequência às ações de Jägermeister no Brasil para minimizar os impactos sociais provocados pela pandemia. A marca começou com Streamplatz, série de streamings vinculados ao Musikplatz, que desde 2018 vem promovendo a cena eletrônica autoral com produtores emergentes, e lançou em Maio, em parceria com a casa noturna que leva o nome, o #TokyoNaSala, que tem como objetivo dar suporte e visibilidade aos músicos e DJs das principais festas do bar, além de buscar arrecadação para projetos que apoiam os profissionais da noite.

Confira a programação completa dos lançamentos artisticos:

02/06 – Fernando Schlaepfer – Schlaepfer começou a atuar profissionalmente na fotografia registrando skate – teve sua primeira foto publicada aos 15 anos de idade. Após centenas de projetos autorais, fundou o I Hate Flash há dez anos. Simultaneamente, produz e toca em diversas festas e festivais, mas não é só um ‘fotógrafo ataca de DJ’, Schlaepfer tem uma respeitada trajetória, tocando há mais de uma década por todo o mundo. É residente de festas no Rio e São Paulo, mas também toca em diversos lugares no Brasil e no mundo.

09/06 – Bruno Kioshi | Músico formado pela EM&T (Escola de Música e Tecnologia), Bruno decidiu colocar a carreira de engenheiro em segundo plano para caminhar com as próprias pernas na indústria musical. O artista uniu seus conhecimentos de engenharia para desenvolver sua bucket drums (bateira de baldes) usando elementos inusitados buscando timbres diferentes e substituindo elementos da bateria convencional e, assim, fundou a banda Kick Bucket.

16/06 – Agatha de Faveri | Pintora e muralista, desde pequena já mostrava seu interesse pelo desenho. Estudou design de moda, mas seu verdadeiro amor sempre foi a pintura. Assim, sua paixão pela arte falou mais alto e, junto com uma pequena conspiração do universo, passou a se dedicar ao estudo do lettering (técnica de desenhar letras), especialmente por acreditar no poder das palavras. Atualmente, trabalha como artista plástica em tempo integral, levando seu lettering para telas, murais internos e externos, eventos, para as ruas e personalizando os mais diversos itens.

23/06 – Apolo Torres | Pintor e muralista, formou-se em Desenho Industrial na Universidade Mackenzie, em São Paulo, e estudou pintura na School of Visual Arts, em Nova York. Seu trabalho dialoga com a pintura clássica, street art e arte contemporânea. Com exposições individuais no Brasil, Itália e Estados Unidos (e participações em festivais e exposições coletivas em vários países) Apolo aparece como um grande expoente do muralismo contemporâneo brasileiro.