LF Comunicação Corporativa / Renata Rosa

(divulgação)

Atividade acontece em 30 de setembro para a sociedade em geral e para o público atendido pela Viva e Deixe Viver. Na data, a atriz também será a estrela do Viva Personas

Crianças hospitalizadas e isoladas em casa terão a oportunidade de participar gratuitamente de uma aula online de Interpretação com a atriz Claudia Ohana no próximo dia 30 (quarta-feira). Durante a aula, ela realizará atividades voltadas à conscientização do corpo, relaxamento, música, mímica, além de muita improvisação. A iniciativa é promovida pela Associação Viva e Deixe Viver (Viva), organização da sociedade civil (OSC) que congrega 1,3 mil voluntários responsáveis por contar histórias em 86 hospitais do País. O evento acontece entre 15h e 17h.

Animada com a experiência, a atriz destaca que as atividades incluem sem problemas crianças em leitos ou impossibilitadas de caminhar. “Também aproveitarei o momento para contar um pouco de minha trajetória profissional e sobre o nosso papel como atriz”, ressalta Claudia.

As inscrições para o evento são limitadas e devem ser feitas pelo link http://bit.ly/aula-com-claudiaohana. A aula também será transmitida pelo canal do YouTube da Associação Viva e Deixe Viver .

Homenagem a Ziraldo – Também a partir do dia 30, Claudia Ohana poderá ser vista no projeto Viva Personas contando a história “Flicts”, do cartunista Ziraldo. O Viva Personas convida personalidades de várias áreas para contar uma história às crianças internadas ou isoladas em casa. “Flicts” marcou a estreia do autor na literatura infantil e conta a história de uma cor que não encontra o seu lugar no mundo. Todos os vídeos estão disponíveis no site Bisbilhoteca Viva (http://www.bisbilhotecaviva.org.br).

O mais recente papel de Claudia Ohana na TV foi em 2019 com a personagem Janice, da novela “Verão 90”, da Rede Globo. No mesmo ano, também estava em cartaz com “Vamp – o Musical”.

Sobre o projeto Viva Personas- A idealização do Viva Personas começou quando o grupo de 1,3 mil voluntários da entidade se viu impedido de entrar em 86 hospitais espalhados pelo país para contar histórias às crianças e jovens internados. Essa atividade, que em agosto completa 23 anos, foi interrompida pela pandemia e as crianças, agora também isoladas em casa, ficaram ainda mais sozinhas. Para multiplicar o alcance da ação e transmitir carinho, afeto e esperança a todas as crianças e famílias brasileiras, os vídeos ficarão disponíveis por tempo indeterminado no site Bisbilhoteca Viva (www.bisbilhotecaviva.org.br).

Novidades toda semana – A lista de novas adesões ao Viva Personas não para de crescer e toda semana três novos vídeos são compartilhados no site Bisbilhoteca Viva. Além do site, uma boa maneira de acompanhar essa movimentação é pelo Instagram da Associação (@vivavdv). Para manter o vínculo com as crianças hospitalizadas, e que já estavam acostumadas com a presença dos contadores de histórias da Viva e Deixe Viver, a entidade utiliza o impulsionamento no Facebook e Instagram com uso do direcionamento das postagens por localização do endereço de todos os hospitais em que atua. E, para ser ainda mais inclusivo, os vídeos também contemplam linguagem em Libras.

Sobre a Associação Viva e Deixe Viver -Fundada em 1997, pelo paulistano Valdir Cimino, a Associação Viva e Deixe Viver (http://www.vivaedeixeviver.org.br) é uma Organização da Sociedade Civil (OSC) que conta com o apoio de voluntários que se dedicam a contar histórias para crianças e adolescentes hospitalizados, visando transformar a internação hospitalar num momento mais alegre, agradável e terapêutico, além de contribuir para a humanização da saúde, causa da entidade. Hoje, além dos 1.357 fazedores e contadores de histórias voluntários, que visitam regularmente 86 hospitais em todo o Brasil, a Associação conta com o apoio das empresas UOL, Volvo, Pfizer, Nadir Figueiredo, Safran, Mahle Metal Leve, Instituto Pensi e Instituto Helena Florisbal.