10004613052015_home_office1

O home office pode agregar cores, texturas, arte, cultura, o que  inspira a criatividade. Esta é a proposta  das arquitetas Náira Sá e Andréia Spessatto para este ambiente da 19ª Casa Cor Goiás, desenvolvido especialmente para espaços compactos

Nos grandes centros urbanos, as pessoas gastam bastante tempo de suas vidas no trânsito. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), um milhão de pessoas no País gastam mais de duas horas para percorrer o caminho casa/trabalho ou trabalho/casa. Um dos problemas apontados pelas pessoas como fator de estresse diário é o trânsito.

O contexto tem estimulado que mais empresas adiram à prática do home office, agregando assim mais qualidade de vida para seus funcionários. Além disso, há cada vez mais profissionais autônomos e pequenos empresários que optam por essa forma de trabalho.

Há quem pense que o home office deve ser um ambiente com um ar predominantemente de neutro, com características que, muitas vezes, o deixam com ar sisudo e impessoal, o que pode ser um erro. As arquitetas Andreia Spessatto e Naíra Sá apresentam uma proposta diferente na 19ª edição do Casa Cor Goiás deste ano.

Elas assinam o home office do evento e propõem uma mistura de estilos, texturas, cores e objetos que estimulam a criatividade. “O espaço de trabalho pode ser despojado e alegre sem prejuízo para a organização e a concentração que toda atividade produtiva requer”, aponta a arquiteta, Andreia Spessatto.

A proposta foi desenvolver um home office com jeito de sala de estar e leitura com estética contemporânea, integrada pelos estilos clássico, moderno e urbano. Inclui a aplicação de uma teto suspenso sustentável,  que dialoga com as novas preocupações globais de reaproveitar matéria-prima, mas sem deixar de lado o design de uma boa peça. Faz uso de cores sem comprometer a sobriedade do ambiente. A ênfase foi o uso do vermelho vinho nos armários e o azul das paredes almofadadas.

Compacto e multifuncional – As medidas compactas do home office da 19ª Casa Cor Goiás também é exemplo de como otimizar os espaços. Com 14 metros quadrados,  é exemplo de que um ambiente inusitado, versátil e aconchegante mesmo quando o espaço for limitado.  “Nós dispomos a escrivaninha retrátil com a possibilidade de o usuário fechar as portas, ganhar espaço de circulação e, ainda, transformá-lo numa sala íntima para momentos em que o profissional não estiver trabalhando”, explica a arquiteta Náira Sá. No mobiliário, uma poltrona foi incluída no ambiente para momentos de leitura e relax do profissional.

Tirando partido dos atributos da iluminação, três tipos luminárias foram escolhidas para privilegiar a funcionalidade e o aconchego: as arandelas, as pendentes e as focais. Náira Sá explica que a luz funcional fica dentro do painel, onde há a necessidade de trabalho, e um ponto focal próximo à poltrona também foi estrategicamente escolhido. No mais, luz e sombra aparecem através do reflexo do teto suspenso, criando um ambiente aconchegante e ao mesmo tempo funcional. O uso de iluminação na parte inferior das paredes complementam a luminosidade e trazem leveza ao ambiente.

Para dialogar com o tema deste ano do Casa Cor Goiás, denominado Brasilidade, a dupla optou por referências na riqueza cultural do País. O espaço conta com uma aplicação de um painel fotográfico na parede com elementos da flora e fauna brasileira, além de incluir um exemplar de um pavão taxidermizado –  elemento de exuberância e criatividade.

O piso utilizado foi o lançamento de Castelatto chamado Pacific, que imprimi uma sensação visual de areia – símbolo do litoral brasileiro. O contraste entre as cores e formas, elas utilizaram referências das artes francesas do século 18, com o uso dos boiseries – moldura de relevos nas paredes –  e o tom vermelho vinho da estante.

As arquitetas utilizaram no teto suspenso inspirado em obras do irmãos Campana – Fernando e Humberto, que atualmente são expoentes do design brasileiro no exterior e tem peças no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque. Eles se destacam pela utilizam de materiais inusitados na confecção de peças, como sarrafos de madeira – utilizadas para armazenar frutas e verduras em feiras, mangueiras de PVC, bichos de pelúcia. “Utilizamos as peças criadas pela empresa Tableria, que utiliza madeira branca reflorestada no teto”.

Quem quiser conferir de perto o ambiente, o espaço estará aberto para visitação de 15 de maio a 24 de junho. De terça a sexta, a casa estará aberta entre 16h às 22h; já sábado, domingo e feriados, de 12h às 22h. (Comunicação sem Fronteiras)

Serviço

Home Office da 19ª Casa Cor Goiás

Quando: De 15 de maio a 24 de junho

Onde: Rua Mario Bittar, Qd. H21, LTS 08/28 – Setor Marista

Horário: Ter a Sex: das 16h às 22h/ Sáb, dom e feriados: das 12h às 22h