Mundo Encantado – Ambiente Seguro certificou a segurança e qualidade nos serviços oferecidos pelo espaço infantil

Selo Ambiente Seguro Mundo Encantado

A Casa da Praça foi o primeiro espaço infantil em Goiânia a receber o selo Mundo Encantado – Ambiente Seguro, que atesta a segurança e se o local conta com atividades que possam desenvolver os aspectos psicomotores das crianças. Criado pelo psicólogo Marcus Fleury, que trabalha há dois anos com questões relativas à primeira infância, o selo faz parte do projeto Mundo Encantado, destinado a levar informações a pais quanto ao desenvolvimento infantil e é fruto de um trabalho solo que o profissional desenvolve.

O selo é fundamentado em três parâmetros, que ele aposta como critérios para um brincar sadio: educativos, onde as crianças desenvolvem habilidades que são as bases do aprendizado da leitura escrita, da escrita e da matemática; sociais, onde há o desenvolvimento da socialização, da negociação, da empatia, da assertividade e dos valores que possibilitem compreender a si e aos outros; e terapêuticos, que, através da ludicidade, possibilitam com que as crianças expressem realidades internas, projetando nas brincadeiras aspectos relacionados à estresse, conflitos e outros problemas.

Para a atribuição do selo é analisada ainda a segurança oferecida por esses espaços, plays e brinquedotecas, e se os brinquedos e equipamentos oferecidos seguem as normas da ABNT que regem a fabricação desses itens. Marcus explica que a ideia da concepção do selo surgiu da sua observação de pai e profissional que em Goiânia há carência de espaços seguros e que ofereçam os critérios de brincar.“O selo mostra que aquele estabelecimento garante aos seus frequentadores um local em que as crianças estejam resguardadas e que possam se desenvolver na área educacional, social e terapêutica, através da interação uns com os outros e com atividades lúdicas”, atesta Fleury.

Recentemente o Ministério da Saúde publicou uma pesquisa revelando que, desde 2008, cerca de 4 mil crianças foram atendidas pelo SUS e 18 óbitos registrados em decorrência de acidentes em parquinhos. Com base nesses dados e na campanha da ONG Criança Segura, o Ministério Público Federal (MPF) entrou com uma ação civil pública para que o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) fiscalize se os playgrounds do país seguem as normas da ABNT que regem a fabricação de brinquedos. (Kasane)