Nádia Junqueira Ribeiro

(divulgação)

Companhia goiana fará transmissões ao vivo, abertas ao público, através do seu canal no YouTube, entre os dias 22 e 25 de setembro

As pesquisas e as abordagens técnicas que acompanham a Nu Escuro ao longo de seus 24 anos de carreira serão compartilhadas neste mês de setembro através de aulas-espetáculos gratuitas. Ao todo serão nove aulas, quatro delas abertas ao público, com transmissão via YouTube (https://linktr.ee/nuescuro). Elas serão oferecidas de 22 a 25 de setembro, das 19h às 21h. As demais aulas serão oferecidas para a Escola de Teatro de Anápolis, para o Itego/Basileu e para a Escola Municipal Laurindo Sobreira do Amaral. A iniciativa faz parte do Projeto Barbas, que conta com apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás.   

Quem já assistiu a algum espetáculo da Nu Escuro, seguramente lembra-se dos movimentos corporais de Lázaro Tuim, dos bonecos de Izabela Nascente, da musicalidade de Abílio Carrascal e das interpretações cheias de personalidade de Adriana Brito e Eliana Santos. São estes e estas os atores-professores que abrirão as coxias para compartilhar as pesquisas, trabalhos e competências que moldam suas trajetórias como artistas de teatro.

Estas atividades estavam previstas para serem realizadas presencialmente. A Cia, contudo, adaptou o trabalho para que as aulas chegassem às pessoas de forma virtual. Tuim, ator e diretor de produção da Nu Escuro, relembra que essa realidade não é uma novidade para área, mas era pouco explorada. Por outro lado, a adaptação não deixa de ser instigante e provocadora, de acordo com o ator.  “Ainda não temos como apontar aonde chegaremos, mas poder divulgar o trabalho desenvolvido no palco e nas ruas utilizando as plataformas e interfaces digitais é uma possibilidade de ampliar o alcance de nosso trabalho, inclusive rompendo barreiras territoriais. Ou seja, estamos realizando um mergulho ‘Nu Escuro’”, comenta Tuim. 

BARBAS

Barbas é um projeto da Nu Escuro estruturado em três eixos: cênico, formação e documentação. Com isso, ele oferece apresentações dos espetáculos da “Triologia Goyaz”, estreia de um novo espetáculo, aulas, oficinas e a publicação de um e-book. O projeto faz parte de uma transição entre dois ciclos de pesquisa desenvolvidos pela Cia de Teatro Nu Escuro. O primeiro ciclo se relaciona a esta Trilogia Goyaz (Plural-2012, Gato Negro-2013 e Pitoresca-2015), formada por espetáculos que refletiam sobre o processo de construção de uma possível identidade goiana. O segundo diz respeito à estreia do espetáculo de teatro lambe-lambe “Dramas ao Cubo”, em 2019, quando o olhar do grupo foi direcionado para o universo feminino no palco. Esta será a tônica o espetáculo que a Cia vai estrear ao final do projeto Barbas, antecipa Tuim. “Assim, este projeto faz uma ponte entre dois momentos da cia, uma vez que registra e documenta um trabalho desenvolvido pela Nu Escuro durante cerca de 10 anos, com ações como o lançamento do ebook Trilogia Goyaz e aprofunda uma nova discussão em nosso desenvolvimento estético e dramatúrgico”, compartilha o ator.

DANÇA

Lázaro Tuim é quem abre a sequência de aulas com “Um Corpo Nu Escuro”, na terça-feira, 22 de setembro, às 19h. A aula terá abordagens teórica e prática.  Na parte teórica, será demonstrado aos participantes como o corpo do ator ou da atriz se constitui e como isso tem mudado no decorrer da trajetória da Cia de Teatro Nu Escuro. A ideia é demonstrar as influências que o grupo sofreu e os caminhos trilhados para composição dos corpos de tantas personagens. A abordagem prática oferece exercícios a partir das técnicas da dança de salão e possíveis relações com a criação de cenas.

BONECOS

Na 4ª feira, 23 de setembro, no mesmo horário, é a vez da bonequeira Izabela Nascente, que provará aos participantes que bonecos podem ser feitos com qualquer coisa. A oficina de formas animadas está ancorada em um fundamento  aplicado por Ana Maria Amaral em que ela diz que “boneco é o movimento”. Assim, Izabela compartilhará que, ao aplicar técnicas do teatro de animação com qualquer coisa, é possível criar imagens, poesias e cenas. O principal objetivo é colocar criatividade em movimento, divulgar as técnicas usuais da linguagem, elaborar, produzir e apresentar arte. Para isso, serão necessários alguns elásticos e fita crepe ou plástica. 

MÚSICA

Já na 5ª feira, 24 de setembro, é a vez de Abílio Carrascal ensinar brincadeiras rítmicas para o corpo e compartilhar a experiência da Nu Escuro com suas criações musicais próprias, e com as execuções ao vivo. Ele demonstrará como a música e o teatro estão intimamente relacionados, e como as trilhas sonoras singulares fizeram com que a Cia fosse reconhecida por sua qualidade sonora. Nesta aula, haverá uma reflexão teórica sobre a música no trabalho do ator, além de dividir com seus participantes alguns dos métodos e exercícios praticados no trabalho criativo da Nu Escuro. Também serão compartilhadas experiências musicais que a companhia tem acumulado e que contribuem com a sensibilização, na percepção, na formação e criação musical no grupo. Todo tipo de instrumento de percussão é bem vindo: tanto convencionais, como tambores e chocalhos, como alternativos: colheres, latas e baldes, por exemplo. 

CINEMA E VÍDEO

Para encerrar, Adriana Brito e Eliana Santos oferecem, no dia 25 de setembro, 6ª feira, uma aula sobre interpretação e a relação do ator com vídeo. As atrizes vão compartilhar técnicas de atuação voltadas para as lentes das câmeras, como expressão e criatividade a partir dos fundamentos da atuação cinematográfica. As atrizes também abordarão a corporeidade, o personagem em ação, a construção da cena, interpretação e diálogo.

A COMPANHIA

A Cia de Teatro Nu Escuro é um grupo de Goiânia que, desde 1996 experimenta, investiga e vivencia as diversas formas do fenômeno teatral. O trabalho mantém um repertório com peças apresentadas em palcos, ruas e espaços alternativos como museus e galpões. A Cia. busca realizar o teatro marcado pela forma horizontal através do teatro de grupo onde o público é o grande motivador de toda encenação. Em 24 anos de carreira, a Cia acumula quatro prêmios, entre eles Prêmio Funarte de Teatro  Myriam Muniz. Com 15 espetáculos montados e tendo realizado inúmeras oficinas de formação profissional e de público em diversos estados brasileiros, a Nu Escuro se consolida como uma das principais companhias de teatro do Centro-Oeste, tendo realizado mais de 1000 apresentações em mais de 100 cidades brasileiras.

Serviço: Cia de Teatro Nu Escuro oferece aulas-espetáculos (GRATUITAS)

Transmissão: Canal YouTube Nu Escuro (https://www.youtube.com/channel/UCVZzHx4OhmhHw8YdJG7Ljmw)

Horário: 19h às 21h

Valores: GRATUITO

22/9 – “Um Corpo Nu Escuro”, com Lázaro Tuim

23/9 – “Bonecos feitos com qualquer coisa”, com Izabela Nascente

24/9 – “Brincadeiras rítmicas para o corpo – a experiência da Nu Escuro”, com Abílio Carrascal

25/9 – “Interpretação: a relação do ator com o vídeo”, com Adriana Brito e Eliana Santos