Em função do Dia Mundial da Doença Inflamatória Intestinal (19/5), especialista esclarece sobre a enfermidade, que atinge mais de 65 mil pessoas somente no Brasil

 

A doença de Crohn, inflamação séria no trato gastrointestinal com predominância no intestino delgado e grosso, atinge mais de cinco milhões pessoas no mundo. No Brasil, são mais de 65 mil pacientes. A enfermidade ainda não é muito conhecida, mas é preciso ter atenção, pois além de ter um difícil diagnóstico, os sintomas são facilmente confundidos com outros problemas de saúde.

Segundo a Dra. Arcangela Valle, diretora médica da UCB Biopharma, a doença de Crohn é considerada uma desregulação crônica do sistema imunológico. “Os primeiros indícios são comumente diarreia, cólica abdominal e febre. Raramente o indivíduo consegue identificar como uma possível complicação gastrointestinal”, explica a médica.

Para contribuir no esclarecimento sobre a doença, a Dra. Arcangela aponta:

É uma doença que pode atingir qualquer parte do trato gastrointestinal – Isso significa que pode ser desencadeada desde a boca, percorrendo pelo tubo digestivo até o ânus. Por isso, existe uma variação considerável de sintomas e apresentações, o que dificulta o diagnóstico. De acordo com a especialista, é comum o paciente levar de três a cinco anos para saber que tem Crohn.

O estado emocional contribui para desencadear ou piorar as crises – Não pode ser considerado como uma causa, mas é um fator de interferência. Se o indivíduo está emocionalmente abalado, as defesas do sistema imunológico tendem a baixar, o que estimula o aparecimento de irritações no sistema gastrointestinal. Portanto, os pacientes precisam ter atenção ao estado psicológico!

Não tem cura, mas é possível ter uma vida normal – É um problema que precisa ser controlado, evitando as crises. Uma vez acompanhado por um profissional, o indivíduo será tratado corretamente e não precisará abandonar as atividades de rotina, tanto no trabalho quanto socialmente. O tratamento deve ser feito sem interrupções com o objetivo de reduzir os sintomas e o impacto da doença no cotidiano.

Terapia biológica melhora expressivamente os sintomas – Esse tipo de tratamento bloqueia os alvos inflamatórios, reduzindo significativamente os sintomas da doença. Nos períodos de crise, o organismo produz TNF em excesso, que são citocinas responsáveis pela inflamação. Os agentes biológicos, chamados Anti-TNF, são inibidores dos receptores da proteína TNF. Analise essa possibilidade com o seu médico!

O curso da doença de Crohn é imprevisível – É possível que os sintomas apareçam apenas no momento de crise e a enfermidade pode não progredir da mesma maneira em todos os pacientes. O médico gastroenterologista identificará o estado do paciente, podendo ser classificado como leve a moderado, moderado grave ou grave fulminante. (Paula Patari)