Uma das novidades é a temática do concurso. Neste ano, os petiscos concorrentes deverão trazer algum cereal incorporado na receita

Em 2017, o Comida di Buteco completa 10 anos de realização na capital goiana. A novidade fica por conta da temática. Os petiscos concorrentes deverão trazer algum cereal incorporado na receita. O concurso será realizado de 14 de abril a 14 de maio e elegerá o melhor boteco da região metropolitana.

Para participar do concurso, os estabelecimentos criaram petiscos exclusivos, que vão passar pelo crivo do público e de um corpo de jurados. Cada concorrente será avaliado em quatro categorias – petisco, atendimento, higiene e temperatura da bebida. O petisco leva 70% do peso da nota e as demais categorias 10% cada uma. O voto do público vale 50% do peso total e dos jurados 50%.

Pelo segundo ano consecutivo, os petiscos terão o preço máximo de R$ 25,90, desafiando os botecos a serem criativos e acessíveis, não perdendo uma de suas características mais importantes: serem democráticos.

2017 é ano de CEREAIS

Por que um tema?

O tema criativo, utilizado em algumas edições do concurso, visa estimular a pesquisa da cultura gastronômica por parte dos botecos, a criatividade e a pluralidade no uso de recursos e ingredientes e histórias.

Por que cereal?

 – O cereal está na base da cadeia alimentar do brasileiro do norte ao sul do País. Essa categoria de alimentos está nos primórdios da alimentação humana, desde que o homem começou a cultivar seus alimentos.

– No mundo todo, os cereais respondem como grupo alimentar mais consumido; em 2º lugar os vegetais e em 3º o leite. No Brasil, os cereais também são o número 1 da cadeia alimentar do brasileiro.

– Apresentam uma grande diversidade, portanto fonte rica para criação de receitas.

– Os principais cereais não sofrem com a sazonalidade no Brasil e existem várias opções de custo baixo, permitindo receitas criativas sem  incremento no custo do petisco.

– Além da diversidade dos tipos de cereais, são inúmeras as possibilidades criativas para uso dos mesmos, permitindo assim uma amplitude na criação. (Voltz Comunicação)