Confira cinco dicas simples

leitura-na-primeira-infancia

Estudos comprovam os benefícios da leitura para as crianças na primeira infância, desenvolvendo capacidades cognitivas, sociais e de aprendizado. Mas como introduzir o hábito de leitura entre os pequenos, de maneira natural, prazerosa e que ajude também a fortalecer o vínculo familiar?

A coordenadora de Mobilização Social da Fundação Itaú Social, Claudia Sintoni, aponta cinco dicas simples que auxiliam os adultos nessa tarefa:

Leia do seu jeitoNão se preocupe com regras. Existem várias maneiras de ler para uma criança e cada família encontra a sua, que seja prazerosa para a criança e para o adulto. A riqueza da literatura está em estimular a imaginação e permitir que os pequenos brinquem com seus pensamentos, com liberdade e autonomia. Não se preocupe em ler toda a história e nem se ele está sentado, concentrado apenas nesta atividade. Um trecho por dia, mesmo com a criança envolvida com outras coisas, tem um grande efeito. E, aos poucos, desperta o interesse pelo livro.

Deixe a criança livre para explorar – A leitura fortalece o vínculo entre criança e adulto e deve ser um ato de afeto. Deixe que explore o livro à vontade: folheie, entorte, sente em cima, desenhe, morda… é a forma dele interagir. E também não se incomode se escuta a história sentada, deitada, em pé, andando ou brincando.

Facilite o acesso aos livros – Disponha os livros em local fácil, em uma altura que a criança visualize e possa alcançar sem a ajuda do adulto. Isso lhe dará autonomia para manuseá-los sempre que quiser. Procure oferecer títulos bem ilustrados, com diferentes capas, modelos e tamanhos.

Aproveite os diferentes formatos – A leitura ficará muito mais interessante se apresentar livros com diferentes temas e gêneros, como contos, fábulas e poesias. Uma boa ideia é conhecer o texto antes de apresentá-lo à criança. Isso permitirá ao adulto transmitir melhor o ritmo e se preparar para questões que possam gerar dúvidas.  Também não se preocupe em “dramatizar”, com vozes e gestos. O livro já é uma expressão de arte capaz de despertar o interesse e a imaginação para que a criança faça sua própria interpretação. Outras formas de apresentação também são bem vindas, como tablets e smartphones, especialmente para crianças acima de dois anos. Porém, é preciso estar atento aos excessos.

Atualize os temas – Os assuntos de interesse mudam conforme as crianças crescem. Por isso, para ampliar o repertório, procure atualizar e diversificar os temas dos livros. Lembre-se também de não alterar o que o autor escreveu. Palavras que a princípio possam parecer estranhas e diferentes não estão lá à toa, elas ampliam os conhecimentos.

Campanha Leia para uma Criança

A Fundação Itaú Social e o Banco Itaú realizam a campanha “Leia para uma Criança”, que este ano disponibiliza ao público, gratuitamente, 3,6 milhões de livros da Coleção Itaú Criança. O objetivo da ação, que integra o Programa Itaú Criança, é estimular a participação ativa dos adultos na educação das crianças desde a primeira infância, contribuindo para o seu desenvolvimento integral e para o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários.

Os títulos que a Coleção Itaú Criança apresenta este ano, recomendados por especialistas em literatura infantil, são: Poeminhas da Terra, de Márcia Leite (Editora Pulo do Gato) e Selou e Maia, de Lara Meana (Editora SM). Os interessados em participar do movimento e ler para as crianças podem solicitar seus livros pelo site www.itau.com.br/crianca. Após a realização do cadastro, o material será enviado para o endereço indicado por meio do serviço postal brasileiro. (Ana Claudia Bellintane)