Nádia Junqueira

Os artistas circenses Diego Esteves, Erica Stoppel e Gabriel Coelho se reúnem no próximo dia 26 de setembro, às 9 horas, para uma conversa sobre criação no circo, mediada por Felipe Nicknig. O objetivo da oficina é convidar artistas e público em geral a pensarem o circo fora da caixa. A atividade promovida pela Companhia Circense Catavento será realizada através da plataforma Google Meet e é gratuita. Para participar, basta preencher formulário no site da companhia: www.ciacatavento.com.br. A oficina faz parte do projeto Alçando Vôos, que conta com apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás. 

Diego Esteves é co-fundador da Canto Cultura e Arte e Unoego, ambas do Rio Grande do Sul. Já Gabriel Coelho é doutorando em Artes da Cena pela Unicamp, onde deu aulas de técnicas circenses. É acróbata circense com curso pela Escola Nacional de Circo do Rio de Janeiro (Funarte). Erica Stoppel é trapezista, musicista, atriz e criadora na trupe do Circo Zanni desde 2004. 

Nesta conversa, os artistas vão compartilhar conhecimentos com artistas que desejam ampliar a  capacidade criativa na concepção de números, cenas e espetáculos circenses. Eles também vão discutir sobre a importância da superação das formas tradicionais de criação de números circenses. Neste horizonte, o desafio está em descobrir novas formas de comunicação entre o artista e o público, identificar as contribuições do trabalho físico-energético para o desenvolvimento de técnicas criativas no circo e identificar novas perspectivas de atuação cênica para o circo.

O diretor da companhia Catavento destaca as transformações vividas pelo circo nas últimas décadas, o que amplia as possibilidades e formas de organização do trabalho, o que implica diretamente na estética dos espetáculos. “Falar sobre o tema da criação e compartilhar experiências é oferecer aos artistas e ao público uma reflexão sobre as formas estéticas, propondo novos caminhos e possibilidades no atual contexto das artes circenses. Nessa perspectiva, nós queremos provocar e convidar o público a sair da caixa”, convida Nicknig. 

O projeto

Alçando Vôos, projeto de manutenção da Catavento, oferecerá ao público um espetáculo-filme e mais três oficinas: técnica hipopressiva, iniciação ao trapézio de balanço e experimentações aéreas. Alçando Vôos é fruto de uma trajetória ousada, inovadora e paciente, influenciando positivamente na produção artística e cultural tanto da companhia quanto dos artistas independentes no processo de distanciamento social que vivemos”, compartilha Felipe Nicknig, diretor da companhia. 

A Cia Catavento é dona de uma trajetória dedicada à formação de artistas circenses e segue com esse objetivo, mesmo em tempos de distanciamento social. O diretor da companhia destaca a importância deste trabalho para Goiás: “nosso projeto cumpre um papel estratégico para o fomento e desenvolvimento das artes circenses no estado de Goiás, além de servir de inspiração e referência para outros artistas, grupos e companhias”. 

Serviço: Projeto Alçando Vôos oferece oficina de criação no circo

Data: 26 de setembro 

Horário: 9 horas

Plataforma: Google Meet

Inscrições: www.ciacatavento.com.br