unnamed

Nesta quinta-feira (25 de agosto), foi realizado o segundo dia do curso Iniciativa Hospital Amigo da Criança, na MNSL. O evento, que teve início na manhã da última quarta-feira (24 de agosto), encerra amanhã, 26 de agosto (sexta-feira). Em meio a palestras, filmes e oficinas práticas; colaboradores da unidade mergulharam no universo de mãe e filho e receberam dicas e aulas sobre a melhor forma de conduzir o processo dos pacientes, desde a gestação.

A ideia principal do curso é capacitar os novos colaboradores e promover uma reciclagem aos antigos, como afirma a gerente de Enfermagem, Fabiana Martins. “Este encontro é de suma importância para atualizar o conhecimento, melhorar a assistência para sempre incentivar o aleitamento materno”, explica Fabiana.

A manhã de troca de informações começou com o Dr. Humberto Borges, diretor técnico da unidade, que ministrou palestra sobre práticas de nascimento e aleitamento materno. O especialista em cuidados com a mulher explicou sobre os diferentes tipos de parto – cesárea, normal e humanizado – e chamou atenção para o normal, que, para ele, é o melhor e mais saudável para o bebê. O palestrante também enfatizou a importância do contato pele a pele entre mãe e recém-nascido na primeira meia hora de vida. “Ao serem colocados em contato pele a pele um com o outro, a criança reduz o choro e estresse, além do ato estreitar o vínculo entre a mãe e o bebê”, explica Humberto Borges.

A enfermeira Maria Cristina Magalhães foi a segunda palestrante da manhã e explicou aos presentes a técnica correta da mamada, que consiste em posicionar a barriga do bebê de frente à da progenitora, fazer com que a criança faça “boca de peixe” e orientar à amamentadora sobre o formato da mão, que deve estar em “C”, para apertar a mama e também acariciar o filho. “Nós, enquanto profissionais de saúde, devemos estar atentos em relação à interação da mãe com o bebê. Por meio do olhar e o comportamento, conseguimos perceber se ela precisa de auxílio ou não. Um exemplo é a expressão facial, caso seja de dor, é sinal de que precisa aprimorar a técnica”, alerta a enfermeira.

A assistente administrativo, Priscilla do Vale Houri, pretende compartilhar o conhecimento adquirido além do ambiente de trabalho. “Minha cunhada sofreu muito quando foi amamentar e passou por um processo muito doloroso. O conhecimento que adquiri hoje me fez muita falta na época, além de poder auxiliar ainda mais às mães que chegam aqui na MNSL, quando algum familiar necessitar eu também estarei apta a ajudar”, comemora Priscilla do Vale Houri.

A emoção também envolveu a coordenadora administrativa, Lisiane Ribeiro, que admirou a forma que os profissionais conduziram o curso. A profissional conta que a palestra foi extremamente instrutiva e de grande aprendizado. “Os assuntos foram muito bem abordados pelos profissionais, que ao transmitirem para nós o amor pela amamentação, nos contagiou”, declara Lisiane Ribeiro.

A fonoaudióloga Marilene Rezende, que também é uma das organizadoras do curso e coordenadora da IHAC da MNSL fechou a manhã do curso desta quinta-feira reforçando os passos para o sucesso do aleitamento materno, indicados pela UNICEF. E, dentre estes, destacou os malefícios da chupeta na formação da boca da criança, na produção do leite e principalmente na nutrição infantil. A fonoaudióloga ainda reafirmou aos presentes a importância dos cuidados especiais àqueles nenéns e mulheres que necessitam deste tipo de assistência. (Bastidores)