Aferição da pressão arterial e teste de glicemia são alguns dos serviços que serão oferecidos nos dias 26 e 27 de abril, no Shopping Cerrado
 
Com o objetivo de conscientizar a população sobre a necessidade de conhecer sua pressão arterial e cuidar da sua saúde cardiovascular, a clínica Dr. Atende Já! realizará nesta quinta e sexta-feira (26 e 27), no Shopping Cerrado, o ‘Hiper Dia’ – uma campanha de prevenção e combate à hipertensão, uma das doenças que mais matam no país.
 
O evento, que é uma ação de conscientização em alusão ao Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, celebrado em 26 de abril, oferecerá os serviços de aferição da pressão arterial, teste de glicemia e medição de peso, altura e circunferência da cintura.
 
O atendimento será realizado entre 10 e 20 horas, no térreo do centro de compras, em frente à loja Exclusiva Utilidades, por uma equipe multidisciplinar. As pessoas diagnosticadas com pressão alta no evento terão consulta agendada com o cardiologista da clínica para avaliação em consultório.
 
O Shopping Cerrado oferece estacionamento gratuito e fica na Avenida Anhanguera, nº 10.790, no Setor Aeroviário, em Goiânia.  
 
Hipertensão
O cardiologista Dr. Weimar Sebba Barroso explica que os principais fatores de risco para uma pessoa ter hipertensão são: idade, genética e fatores modificáveis, como sedentarismo, alimentação inadequada com excesso de sal, sobrepeso, obesidade, estresse e tabagismo.
 
Segundo ele, a hipertensão é uma doença de poucos sintomas, o que reforça a importância da aferição da pressão arterial. “Isso é um problema porque muitas vezes a pessoa está com hipertensão, mas não sente nada, por isso o estímulo para que a população esteja frequentemente a par do comportamento da sua pressão arterial”, reitera.
 
O médico acredita que a hipertensão arterial ainda não é bem controlada. “No Brasil, a estimativa é que de cada cinco hipertensos, apenas um esteja com a pressão bem controlada. Isso gera uma série de complicações e aumenta o risco de mortalidade decorrente de causas cardiovasculares nos 10 a 15 anos subsequentes”, alerta. (OlhO Comunicação Estratégica )