Com o nome original Revue Spirit, criada por Allan Kardec, a Revista Espírita, publicada mensalmente pelo autor, foi compilada em livro com 12 volumes.

A primeira versão feita das obras no Brasil foi da Edicel, selo da Boa Nova, com a tradução de Júlio de Abreu Filho e revisada por J. Herculano Pires, dois espíritas conceituados. Neste sentido, são consideradas as versões mais fiéis e notáveis de todo mercado de livros espíritas.

Para Kardec, educador, autor e codificador do espiritismo, a Revista Espírita, com subtítulo de “Jornal de Estudos Psicológicos”, trata-se do “relato das manifestações materiais ou inteligentes dos Espíritos, aparições, evocações, etc., bem como todas as notícias relativas ao Espiritismo”.

Kardec dirigiu a revista até seu falecimento, entre os anos de 1858 e 1869. E, sua intenção era proporcionar ao leitor o conhecimento do caminho desenvolvido pelo codificador e o debate de ideias consolidadas nos livros da Codificação Espírita.

A ideia inicial de Allan Kardec era investigar como as pessoas reagiam em relação aos eventos mal compreendidos pela sociedade, e também sondar a impressão dos espíritos, transformando a revista em uma espécie de laboratório, de palco para discussões e formação do pensamento.

Até abril, a Edicel disponibilizará todos os exemplares – de 1858 a 1869.

Os exemplares estão disponíveis em livrarias, centro espíritas e na distribuidora Boa Nova (www.boanova.net). (Caroline Arnold – LC /Agência de Comunicação )