Seja de bike ou outras soluções que se revertam a menos automóveis nas ruas, empresas colaboram com o poder público incentivando transportes mais sustentáveis

espaco-bike-wash_opus-urbano

O Dia Mundial Sem Carro é um movimento que começou em algumas cidades da Europa no final do século 20, e, desde então, vem se espalhando pelo mundo, ganhando a cada edição mais adesões pelo planeta. No Brasil, o movimento ganhou força a partir de 2003, principalmente por São Paulo. O objetivo é que a data proporcione uma reflexão sobre os problemas vividos hoje por diversas metrópoles pelo uso intenso de automóveis como forma de deslocamento, sobretudo os danos ambientais ao planeta, pelo uso de combustíveis e o lançamento dos gases provenientes da sua queima. O marco propõe ainda que, ao menos nesse dia, se experimente uma forma alternativa de mobilidade, descobrindo novas formas de transporte na cidade.

Goiânia caminha ainda em passos lentos na busca por transportes alternativos, como um transporte público de maior qualidade e o fomento do uso de bicicletas, com a criação de ciclovias e ciclorotas. Assim que entregues todos os trajetos em construção da malha cicloviária, a capital terá cerca de 100 km disponíveis para a locomoção por bikes. A iniciativa busca incentivar o goianiense a usar este meio, já que atualmente apenas 4% da população de Goiânia e 6% da região metropolitana utilizam a bicicleta como meio de locomoção, sendo o transporte público coletivo usado por 30% desta população, segundo levantamento da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC). Em julho deste ano, a Prefeitura de Goiânia abriu licitação para empresas interessadas em oferecer o serviço de bicicletas compartilhadas. O projeto prevê a instalação de 30 estações com 300 bikes espalhadas por pontos estratégicos da cidade.

Seguindo a conceito de cidade sustentável, crescem os investimentos de empresas em empreendimentos que ofereçam bicicletários, com a proposta de agregar maior mobilidade, buscando ainda incentivar o hábito tanto nos que trabalham, quanto naqueles que frequentam o local para negócios ou utilização de serviços. Essa é a proposta do Connect Park Business, edifício comercial da Opus Inteligência Construtiva, localizado na esquina da rua T-12 com a T-37, em um ponto estratégico do setor Bueno, que dispõe de cerca de 20 vagas para bicicleta, para uso interno e dos visitantes do edifício.

Já outro projeto residencial da incorporadora, o Opus Urbano, oferece aos moradores um espaço exclusivo para lavagem e a realização de pequenos reparos de bikes. Localizado próximo à Alameda Ricardo Paranhos e ao Parque Areião, o empreendimento tem a proposta de conectar o morador à uma vida mais saudável proporcionando elementos que facilitem a vida neste sentido, como o Bike Wash. “Em todos os nossos empreendimentos pensamos em oferecer exclusividade aliada a projetos inteligentes que atendam a anseios modernos, como mais qualidade de vida, mais opções de conectividade com a cidade e a natureza e soluções sustentáveis”, explica o gerente de marketing Opus, Guilherme Eduardo Martins.

Novos equipamentos são alternativa

Além disso, a EBM adotou há cerca de um ano dois monociclos elétricos com a finalidade de facilitar o deslocamento de funcionários da empresa, que tem escritórios na Alameda Ricardo Paranhos e na Avenida 136.  O diretor comercial da EBM, Rodrigo Meirelles, usa frequentemente o novo meio de transporte, que teve baixo investimento para a empresa e alto retorno financeiro, visto que os combustíveis estão cada vez mais caros, estacionar na região é difícil e os estacionamentos particulares custam em torno de R$ 8 a primeira hora. “Como temos de nos deslocar muito entre um escritório e outro, a empresa acabava gastando muito com estacionamento e com combustível e os monociclos se mostraram uma ótima solução, além de serem ambientalmente corretos e contribuírem para aliviar o trânsito pesado de Goiânia”, afirma. Recarregável na tomada e com até duas 2 horas de autonomia, o monociclo é ágil e fácil de carregar, podendo alcançar até 20 km por hora e pesa apenas 13 quilos, podendo ser carregado em uma mochila. (Kasane)