Conteúdo Comunicação / Luciano Pereira

Artistas se apresentam de 3 a 5 de julho, sexta a domingo, pela programação de shows ao vivo do Sesc São Paulo na internet, que traz apresentações diárias, sempre às 19h, no Instagram (@sescaovivo) e YouTube (@sescsp)

A série Música #EmCasaComSesc recebe neste fim de semana o cantor e pianista Breno Ruiz na sexta, a cantora Elza Soares com o rapper Flávio Renegado no sábado, e o mestre Sapopemba no domingo. Mas antes, tem Lula Ribeiro hoje à noite. Para conferir os shows e ficar por dentro de toda a programação é só acessar o Instagram Sesc Ao Vivo ou o YouTube Ses c São Paulo .

Abrindo o fim de semana, na sexta-feira, 3, tem o cantor, compositor e pianista Breno Ruiz em show com canções inéditas de seu novo projeto, Dentro de Casa, e de seu primeiro álbum, Cantilenas Brasileiras. Em repertório ao piano, Breno fará um passeio pelas parcerias com Paulo César Pinheiro, Cristina Saraiva, Socorro Lira, Roberto Didio e Celso Viáfora, com muito choro, modinha e lundu – dança e canto de origem africana presente no Brasil. O jovem músico do interior paulista também traz canções gravadas por grandes nomes da música popular brasileira como “Caipira”, que dá nome ao último disco de Mônica Salmaso, “Milagres”, presente no disco de cinquenta anos do grupo MPB4 e “Viola de Bem Querer”, do especial 40 anos do grupo Boca Livre.

Na noite de sábado, 4 de julho, é a vez da irreverência da cantora Elza Soares em sarau intimista com participação do rapper Flávio Renegado. Muita música e bate-papo com a artista que se reinventou aos 90 anos de idade com novos trabalhos e o cantor mineiro que despontou em 2008 com o disco de estreia, Do Oiapoque a Nova York, e agora apadrinhado por uma das grandes personalidades da história da música popular brasileira. No show vanguardista #OndaNegra, Elza (voz) e Renegado (voz, violão, guitarras, synths e programações eletrônicas), acompanhados por JP. Silva (voz de apoio, violão e bandolim), revisitam clássicos como, “Malandro”, “Meu Guri”, “Mulher do Fim do Mundo”, “Espumas ao Vento”, entre outros sucessos, além de músicas recém lançadas, como “Carinhoso” e seu último single, “Juízo Final”, divulgado na semana passada e disponível nas plataformas de streaming. Completam o repertório versões clássicas como “A Carne”, com intervenção de rap em eletroacústico que mistura samba ao rock, e sucessos da discografia de Flávio Renegado, como “Minha Tribo é o Mundo” e “Rotina”. Bases, synths, violão acústico, pandeiro e guitarra embalam esse encontro inédito da música brasileira, que terá desdobramentos ainda neste mês de julho, quando lançam um hino samba-trap que traz na letra o orgulho das origens negras e interpretado por Elza Soares.

E no domingo, 5, o mestre alagoano Sapopemba apresenta as tradições afro-brasileiras com os orixás e as entidades sagradas do álbum Gbó, que na lígua iorubá significa ouça. O repertório mescla composições autorais de Sapopemba e cantigas de candomblé, mais especificamente das nações Ketu, Ijexá, Angola e Jêje, que carregam a diversidade musical das muitas Áfricas que aportaram no Brasil. Um convite ao público para se deixar levar pela riqueza sonora do candomblé, somada à inventividade harmônica da canção popular. Em Gbó, Sapopemba celebra 30 anos de carreira musical e os mais de 50 como ogã.

Agenda até 5 de julho, 19h
3/7, sexta: Breno Ruiz
4/7, sábado: Elza Soares. Participação: Flávio Renegado
5/7, domingo: Sapopemba

+ Música #EmCasaComSesc

A programação de shows na internet do Sesc São Paulo está no ar desde 19 de abril com apresentações diárias de importantes nomes da música brasileira, nos mais variados estilos. Sempre às 19h, tem uma atração ao vivo e direto da casa do artista no Instagram Sesc Ao Vivo e no YouTube Sesc São Paulo. Até aqui, já são mais de 70 shows realizados e uma audiência de mais de 3,1 milhões de visualizações. A programação foi pensada a todos que apreciam a boa música brasileira, em tempos de isolamento social por conta do novo coronavírus e que levou ao fechamento das unidades em todo o Estado para evitar a disseminação da Covid-19.

Até aqui, já passaram pela série os artistas Zeca Baleiro, Chico César, a dupla Fernanda Takai e John Ulhoa da banda mineira Pato Fu, Roberta Sá, Paulo Miklos, João Bosco, Zélia Duncan, Hamilton de Holanda e Mestrinho, Rael, Mônica Salmaso e Teco Cardoso, Davi Moraes e Pedro Baby, Hélio Ziskind, Siba, Luciana Mello e Jair Oliveira, Marcelo Jeneci, Renato Braz, André Mehmari, Anelis Assumpção e Curumin, Ayrton Montarroyos e Edmilson Capelupi, Céu, Emicida, Dori Caymmi, Tulipa Ruiz e Gustavo Ruiz, Toninho Ferragutti, Ná Ozzetti e Dante Ozzetti, Josyara, André Abujamra, Luedji Luna e Zudizilla, João Donato, Joyce Moreno, Duo Siqueira Lima, Tiê, As Bahias e a Cozinha Mineira, Nilze Carvalho, Ava Rocha, Adriana Calcanhotto, Eduardo Gudin e Naila Gallotta, Hercules Gomes, Mariana Aydar, Lula Barbosa, Thaíde, Maurício Pereira e Chico Bernardes, Leila Pinheiro, Geraldo Azevedo, Cristian Bubu, Zé Renato, Filipe Catto, Edgard Scandurra, Teresa Cristina, Francis e Olivia Hime, Renato Teixeira, Ricardo Herz e Vanille Goovaerts, Badi Assad, Carlinhos Antunes e Gabriel Levy, Vidal Assis, Mahmundi, Toquinho, Rincon Sapiência, Manoel Cordeiro, Pepeu Gomes, Adriana Moreira, Daniela Mercury, a dupla Carlos Careqa e Mário Manga, Jards Macalé, Vanessa Moreno, Maíra Freitas, Ed Motta, Trio Virgulino, Yvison Pessoa, Letrux, Fafá de Belém, Tom Zé, Arismar do Espírito Santo, Sandra de Sá e Lô Borges. As apresentações atingiram uma audiência de mais de 3,1 milhões de visualizações, somando as páginas do Sesc São Paulo e dos artistas que transmitiram as apresentações.

A série Música #EmCasaComSesc também tem sido uma oportunidade para promover o Mesa Brasil, programa que conecta empresas doadoras e instituições sociais para o complemento de refeições de pessoas em situação de vulnerabilidade social. Criado há 25 anos pelo Sesc São Paulo e hoje em operação em diversos estados do país, a iniciativa está com uma campanha para expandir sua rede de parceiros doadores e ampliar a distribuição de alimentos, produtos de higiene e limpeza em meio à crise causada pelo novo coronavírus. Também engajados pela causa, os artistas têm aproveitado as transmissões on-line para convocar as pessoas, principalmente empresários e gestores, a integrarem a rede de solidariedade. Para saber como ser um doador, acesse o site mesabrasil.sescsp.org.br.

+ Sesc Digital

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado. Por essa razão, o Sesc apresenta o Sesc Digital, sua plataforma de conteúdo!

Saiba+: sescsp.org.br