O Hospital de Doenças Tropicais dr. Anuar Auad (HDT/HAA) realizou na tarde da última sexta-feira (13 de janeiro), pela primeira vez na história da unidade, o procedimento de retirada de órgão para doação. Com a ajuda da equipe da Central de Notificação, Capacitação e Distribuição de Órgãos de Goiás (CNCDO-GO), do Banco de Olhos e da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos, Tecidos e Transplantes (CIHDOTT) do HDT, foi realizada a captação de córneas de uma doadora de 53 anos, diagnosticada com morte encefálica.

De acordo com a diretora clínica do HDT, Débora Meireles, a unidade tem muitos motivos para comemorar já que mesmo se tratando de um hospital com perfil de atendimento a doenças infecciosas, chegou o momento em que a captação se tornou possível. “Todos os procedimentos para verificar a compatibilidade de doação foram realizados a partir do momento em que foi constatada a morte encefálica do paciente e que a família decidiu por doar os órgãos. Como vimos que tudo era favorável, fizemos e foi um sucesso”, conta.

A enfermeira da CNCDO-GO, Sulvia Fernandes, elogiou a atuação do hospital. “A notificação imediata após confirmação do óbito feita pelo HDT e a resposta positiva da família quanto à doação, foram determinantes já que a captação de córnea deve ser feita em até seis horas após o óbito”, destacou. Já a diretora clínica do hospital destacou a mobilização da equipe da CIHDOTT. “Estamos extremamente gratificados por termos tido condições de participar de uma mobilização tão importante. Uma iniciativa que proporciona a oportunidade de ajudar outra vida”, conclui Débora.

Captação de córneas – Por ser um tecido, a córnea, diferentemente dos órgãos, pode ser captada até seis horas após o óbito. O procedimento é simples e dura em média 40 minutos, não ocasionando efeitos estéticos indesejáveis ao doador. (HDT Comunicação)