HMI Comunicação

A cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo, ou seja, cerca de 800 mil pessoas todos os anos, segundo o relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS), de 2016. No Brasil foram registrados 13.467 casos, sendo a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos.

Para alertar e informar sobre o problema, nesta quinta-feira, 10 de setembro – Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, o Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI) distribuiu folhetos informativos em alusão à campanha do Setembro Amarelo. O setor de Psicologia decorou as portas das unidades do hospital com balões amarelos e entregou fôlderes para os colaboradores explicando a importância da campanha desenvolvida no mês dedicado à conscientização, alerta e prevenção ao suicídio. Para a técnica de Enfermagem, Elizabeth Lima, a ação foi bem instrutiva. “Acho importante essas orientações sobre identificação e  fatores que possam levar ao suicídio. Muitas vezes, temos pessoas assim do nosso lado e não sabemos identificar, por não saber ou não prestar atenção”.

O pensamento de suicídio pode afetar qualquer pessoa. Não importa a classe social, idade, sexo e raça. Segundo os psicólogos e psiquiatras, é preciso estar atento aos sinais de alerta em si mesmo, ou em alguém próximo, pois o suicídio pode ser prevenido. Segundo a coordenadora do setor de Psicologia, Flávia Zenha, todos nós temos um papel importante e podemos salvar vidas. “A medida em que mais pessoas passam a entender e multiplicar informações e orientações sobre o assunto, mais pessoas saberão lidar com a situação ou até mesmo identificar alguns sinais de alerta, e vão poder ajudar a dar o encaminhamento a um profissional especializado caso necessário”.

Algumas mudanças bruscas de hábitos merecem atenção como isolamento, descuido na aparência, queda no desempenho na escola ou no trabalho, falta de apetite, insônia, deixar de fazer as coisas que gostava. Se ficar com os comentários: “Vou desaparecer”; “Vou deixar vocês em paz.”; “Eu queria poder dormir e nunca mais acordar” e “Eu queria morrer”. Tudo isso não deve ser ignorado, pois pode ser indicação de pedido de ajuda, de socorro.