Realizado, desta vez, a partir da parceria com a FAAP, esta edição traz o artista moçambicano Mário Macilau que, durante três dias, analisa as diferenças e similaridades culturais entre o seu país e o Brasil. O workshop composto por aulas práticas e teóricas, encerra na Residência Artística FAAP, onde ele propõe formas diversas de construir e expressar a arte em um processo coletivo e sem limite

As inscrições para mais uma edição do programa Entreolhares de formação em artes visuais, no Itaú Cultural, estão abertas até 28 de junho. São 20 vagas para o Workshop Cultura – Similaridades e Diferenças com o artista africano Mário Macilau, de 7 a 9 de julho (quinta-feira a sábado). A série conta desta vez com a parceria da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), por meio de sua Residência Artística.

O workshop tem como público-alvo estudantes, artistas, curadores, videomakers, iniciantes e profissionais de todas as vertentes artísticas. As inscrições devem ser feitas pelo site do Itaú Cultural (www.itaucultural.org.br), onde também constará o regulamento. Os nomes dos selecionados serão divulgados em 1º de julho, no mesmo site do instituto.

No Workshop CulturaSimilaridades e Diferenças, o artista africano Mário Macilau, atualmente na Residência Artística da FAAP, parte de pontos de convergência entre o seu país Moçambique e o Brasil, como a língua portuguesa, para promover um trabalho de construção e discussão criativa com os participantes. A matéria-prima das criações será as experiências pessoais dos próprios alunos. O objetivo é suscitar uma reflexão sobre a similaridade entre as duas nações e demonstrar que, quando se trata de cultura, o próprio ser humano pode criar extensas fronteiras que precisam ser ultrapassadas.

São três dias de aulas com momentos teóricos e práticos, sendo que, no último, em 9 de julho (sábado), os participantes concluem as atividades na Residência Artística FAAP, de forma colaborativa e experimentando um novo espaço.

Macilau é especializado em projetos que envolvem diversos gêneros fotográficos de documentação pessoal para dar suporte à investigações e análises críticas de temas como identidade, questões políticas, condições ambientais e grupos sociais isolados, tudo como forma de expressão a sua própria identidade de raiz africana.

É o terceiro encontro Entreolhares do Itaú Cultural neste ano. No primeiro, o educador e cineasta Bruno Vianna apresentou uma oficina de performance corporal com técnicas de vídeo em tempo real no espaço público. No segundo, o artista Jaime Lauriano faz um panorama histórico de revoltas e levantes populares, ao longo da história do Brasil, tendo como foco de interesse a produção e construção da identidade artística do País.

Sobre Mário Macilau
Nascido em 1984, em Maputo, capital de Moçambique, onde ainda vive e trabalha, começou a fotografar profissionalmente em 2007. Em 2015, foi escolhido como um dos 100 Líderes Mundiais de Pensamento, pela Foreign Policy, em Washington DC, e  um dos palestrantes convidado para o Boston Global Forum, na Universidade de Harvard (EUA).

Recebeu diversos prêmios internacionais, como o Prêmio da União Europeia de Meio Ambiente (2015), UNESCO Ashberg para as Artes Visuais (2014), The Africa Centre (2014), Crossing Point da Fondation Blachère (2012), Visa Pour La Creation (2012), EVTZ Foundation (2012), Santa Lucia (2011). Foi finalista do 7º BES Photo (2011) e ainda participou na Bienal de Fotografia Africana, em Bamako, em 2011.

Mário Macilau tem participado com frequência de exposições individuais e coletivas, dentro e fora da África. Participou da 56ª Bienal de Veneza, da mostra Making Africa: A Continent of Contemporary Design, ano passado, no Vitra Design Museum, na Itália, comissariada por Amélie Klein e com curadoria de Okwui Enwezor, apresentada no mesmo ano, no Museu Guggenheim.

Em 2015, teve ainda o seu trabalho apresentado na feira de arte africana contemporânea 1:54, em Londres, e na Feira de Arte de Joanesburgo, na África do Sul. Participou também do projeto Entry Prohibited to Strangers, na Havremagasinet – Boden Art Center, na Suécia, com curadoria de Elise Atangana, foi selecionado no Festival Foto, na Polônia, para apresentação da sua primeira monografia com a exposição individual Discover Show.

Tem frequentado residências artísticas por todo o mundo, incluindo The Fountainhead, em Miami (2015), Fundação Sacatar, em Bahia (2014), a Bienal de Artes Actuels, nas Ilhas Reunião (2013), o eset Artista Moçambicanoarte de jectpto take part in the Oazo Art Space, em Amsterdã, e a Bolsa de Fábrica, em Joanesburgo, ambos em 2011. Atualmente, realiza residência de seis meses na Residência Artística FAAP mantida pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), em São Paulo, no Brasil. Há obras de Macilau adquiridas por várias coleções públicas e privadas da África e de outros países pelo mundo. (WN&P COMUNICAÇÃO)

SERVIÇO

Entreolhares
Workshop Cultura – Similaridades e Diferenças

Com Mário Macilau

De 7 a 9 de julho (quinta-feira a sábado)
No Itaú Cultural (7 e 8 de julho) e na Residência Artística FAAP (9 de julho)
Inscrições: 14 a 28 de junho pelo site www.itaucultural.org.br
Resultado: em 1 de julho, no mesmo site
20 Vagas
Carga Horária: 12 horas
Informações: 11 2168-1777
Classificação indicativa: livre
Interpretação em Libras

Em 7 e 8 de julho (quinta-feira e sexta-feira)
Das 18h30 às 21h30
No Itaú Cultural, Sala Multiúso

Em 9 de julho (sábado)
Das 10h30 às 17h (1h30 de intervalo)
Na Residência Artística FAAP
Edifício Lutetia – Praça do Patriarca, 78 – Centro
São Paulo, SP

Itaú Cultural
Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô
Fones: 11. 2168-1776/1777
Estacionamento: Entrada pela Rua Leôncio de Carvalho