Historicamente uma empresa que tem o jeans em seu DNA, mas que acabou diversificando o mix de produtos ao longo dos anos, a Jean Darrot promove um resgate dessa raiz, lançando sua nova coleção com o jeans como o grande protagonista, em diversas modelagens e lavagens, sendo utilizado até mesmo na alfaiataria.

seleção 5

O jeans nunca saiu de moda, mas desde que a Chanel desfilou uma coleção linda com peças neste tecido (coleção outono/inverno 2014/1015), o mundo fashion começou a voltar os olhos para ele e a revisitar essa tendência.

Surgiram então novas formas de uso, de lavagem e a onda do look total jeans. Bebendo nesta mesma fonte, a Jean Darrot, que há 35 anos é a maior fabricante de moda em jeans do Estado de Goiás, vem buscando reinventar e valorizar este produto, investindo em novas modelagens, técnicas e tecnologia.

O lançamento do Preview da Wild Collection 2016, que aconteceu no dia 08 de junho, e trouxe o jeans trabalhado em muitas versões, desde o tradicional índigo blue até as mais modernas lavagens, incluindo estampas elaboradas a laser. “Está sendo um regresso às nossas origens, mas de uma forma bastante atual. O jeans foi referência para quase toda a coleção, mesmo nas peças em malha, e teve grande destaque também na alfaiataria”, explica a diretora executiva, Lorena Darrot.

Nas araras das 20 lojas da marca, nos Estados de Goiás e Tocantins, poderão ser encontradas calças, bermudas, saias, shorts, macacões e camisas trabalhadas com as mais variadas técnicas, dentre elas os Bigodes Tridimensionais (efeito que simula as marcas do tempo nas regiões das roupas que sofrem maior desgaste, por meio de lixa ou laser), sky bleach (um efeito marmorizado, resultado da lavagem de peças de diferentes tons em uma mesma máquina, para que uma manche a outra), lixado a mão (para efeito de desgaste e puído), laser (para dar ao jeans pontos de luz ou desenhar estampas), estonagem (causa no tecido ranhuras desiguais), delavê (um desbotamento bem leve), o degradê, spray de permanganato (para realçar o lixado), tingimento, entre muito outros.

Modinha

Para as demais peças que serão apresentadas no preview e que não levam o jeans, a “modinha”, como chamam os estilistas da equipe, a inspiração foi uma “viagem nômade” por diversos países, trazendo principalmente influências gregas, indianas e africanas em estampas éticas. A gola laço, o trabalho com rendas, muitas vezes sobrepostas, os chatons e guipure, tendência nos desfiles internacionais, também foram trazidas para a coleção. O destaque também fica para a tendência “tal mãe, tal filha” e “tal pai, tal filho”. (Comunicação Sem Fronteiras)