Loren – Kasane 360

Em Goiás há 16 anos, a entidade, que tem como foco o empreendedorismo jovem, já atendeu a mais de 160 mil estudantes e despertou muitos deles para o mercado de trabalho

Uma das maiores e mais atuantes ONGs do mundo, a Junior Achievement completa, em 2019, 100 anos ofertando a jovens de 118 países a oportunidade de aprender sobre empreendedorismo, educação financeira e mercado de trabalho, por meio da atuação voluntária de profissionais de diferentes setores do meio empresarial.   A entidade atende anualmente cerca de 10,5 milhões de crianças, adolescentes e jovens em todo o mundo, sendo 350 mil no Brasil. No seu centenário, a Junior Achievement foi eleita a 7º maior ONG do mundo, no ranking das 100 maiores levantado pela NGO Adviser, em Genebra.  

No Brasil há 36 anos, a entidade já auxiliou 5 milhões de alunos e transformou 150 mil pessoas em voluntários. Em Goiás, embora exista somente há 16 anos, a instituição soma 161.869 estudantes atendidos e 8 mil voluntários engajados. Desses estudantes, 70% são de escolas públicas. A meta para este ano é atender a 13,5 mil jovens.

O trabalho da ONG consiste em levar aos estudantes conhecimento sobre educação financeira, empreendedorismo e mercado de trabalho a partir da prática. A entidade oferta programas por meio dos quais os estudantes simulam a criação de empresas, desenvolvem produtos para o mercado, aprendem a gerir e otimizar recursos, a trabalhar em equipe e a estimular a criatividade e competitividade. Um dos programas é o Empresário Sombra por Um Dia, em que jovens acompanham a rotina de profissionais das áreas que pretendem seguir, o que os auxilia na escolha profissional.

Em Goiás, a Junior Achievement tem mais de 30 empresas parceiras mantenedoras e voluntários que doam conhecimento aos estudantes. Muitos deles são empresários bem-sucedidos que um dia tiveram a oportunidade de aprender com a ONG. O empresário Carlos Henrique de Carvalho, 32 anos, conheceu a entidade quando tinha 16 e estudava no colégio Lyceu. Foi quando conseguiu despertar para a vontade de empreender. “Na época, os voluntários da Junior foram ministrar o programa Miniempresas. Eu era muito tímido. Tive certa resistência de participar, mas percebi que as participações que eu tinha eram decisivas. O nome da miniempresa e do produto que criamos foi eu quem sugeri”, conta.

Carlos começou a gostar do que aprendia e percebeu que empreender era vocação. Montou sua empresa aos 26 anos e hoje é sócio-proprietário de quatro supermercados. Ele agradece a ONG por ter sido auxiliado quando jovem. “Há seis anos eu resolvi retribuir a ajuda que tive e me tornei voluntário da Junior, e minha empresa é uma das parceiras da entidade”, destaca. 

Carlos Alberto Siqueira também foi um dos estudantes atendidos pela instituição que descobriu sua vocação profissional. “Aos 12 anos de idade, tive o primeiro contato com a Junior no colégio Claretiano Coração de Maria. Mais tarde, ingressei no projeto Miniempresa e fui eleito diretor financeiro. Tive a oportunidade de conhecer um pouco sobre as responsabilidades, relatórios, decisões e outras atividades que me aguardavam. Depois, participei do projeto Empresário Sombra, quando conheci a rotina de uma empresa e de um empresário que me inspirou a cursar Ciências Contábeis. Hoje sou sócio e diretor de uma assessoria contábil. A Junior foi um verdadeiro anjo na minha vida”, relata.

Avanços

De acordo com o IBGE, em 2017, 7,4 milhões de pessoas realizaram trabalho voluntário, o equivalente a 4,4% da população de 14 anos ou mais de idade. O aumento foi de 12,9% em comparação a 2016. Ao refletir sobre os 100 anos de atuação da Junior Achievement, a diretora executiva da entidade, Marisa Brandão, ressalta que a ONG contribui para a formação de jovens empreendedores de suas carreiras e participantes ativos de suas comunidades. “ Muitos alunos voltam para atuar como voluntários e inspirar outros jovens”, pontua.

“O que a Junior Achievement faz é um trabalho belíssimo. Uma instituição que realiza projetos de educação empreendedora em todo o mundo com realidades muito distintas do ponto de vista social, econômico, tecnológico e cultural, se manter viva e cada vez mais forte após 100 anos é muito significativo.  A Junior Achievement desperta o jovem para que ele seja protagonista de sua história, para que seja autônomo, empreendedor. E quando isso acontece de forma efetiva na vida de um jovem, ele modifica a vida de sua família, a comunidade onde ele está, causando bons impactos sociais. Eu me sinto muito orgulhosa de fazer parte dessa instituição”, afirma.