Livro escrito por criança se transforma em projeto de incentivo à leitura em escolas públicas de Goiás. Lançamento ocorre no dia 09 de outubro

João Luiz da Silva Meireles Mourão faz sua estreia no mundo literário no próximo dia 09 de outubro. O lançamento de O Primeiro Ovo, com ilustrações de Francisco Veiga, ocorrerá no Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro, às 20 horas, e contará com a presença da já veterana escritora Dinorá Couto Cançado, que ministrará palestra sobre “Leitura, Cidadania e Transformação Social”. O livro, e todo o projeto que o envolve, tem o apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás.

Até aqui a notícia é comum, não fosse o fato de o escritor debutante ter apenas 8 anos de idade. Isso mesmo. João Luiz é apenas um garoto e, embora esteja lançando seu livro somente agora, em idade já avançada, escreveu O Primeiro Ovo aos 6 anos de idade.

Além de Goiânia, o livro será lançado também nas cidades de Goiás e Corumbá de Goiás, escolhidas por serem berço de importantes escritores da literatura goiana como Hugo de Carvalho Ramos e Cora Coralina, que embora não tenha nascido em Goiás, adotou a cidade como sua e é reconhecida pelo trabalho intimamente ligado à cultura goiana, e Bernardo Élis e José J. Veiga.

Nestas cidades João Luiz promoverá não só o lançamento de O Primeiro Ovo, com palestras e um contato direto com as outras crianças de sua mesma faixa etária, entre 5 e 8 anos, sobre o processo de criação do seu livro, mas também movimentará escolas municipais com oficinas de criação de brinquedos artesanais e brincadeiras antigas, que serão ministradas por Wender Francisco de Assis.

Mãe antenada

O projeto é coordenado pela mãe de João, Graziene Moreira, gestora cultural e mãe de outros dois meninos, (Benjamim, 10 e Pedro Jeremias, 7), todos incentivados a ler, jogar bola e ter um contato próximo com a natureza desde bem cedo. Ela conta que o livro surgiu da maneira mais espontânea possível, pegando até ela mesma de surpresa.

Foi assim… Certo dia, João chegou da escola determinado: “Mãe, quero escrever um livro”. Graziene achou bacana, incentivou, mas não levou a sério a instantaneidade do pedido. Até que João retrucou: “não, mãe! É hoje! Cadê os papéis?”. Sem ressalvas, Graziene entregou os papéis e lápis coloridos. Até o fim do dia, a primeira e a quarta capas já estavam prontas. O livro foi finalizado no dia seguinte.

Ela ressalta que o estímulo à leitura dentro de casa começou bem cedo e foi algo tão natural que se tornou um hábito. “Minha mãe teve um papel muito importante nisso tudo. Ela chegava em casa com caixas de livros infantis e eles adoravam. Aqueles livros sensoriais, sabe?! Interativos… Sem contar que ela é uma contadora de histórias de mão cheia. Seus contos eram cheios de efeitos especiais. Eles adoravam”, diz.

Também a escola dos garotos foi grande influenciadora por meio de um projeto de “ciranda do livro”, em que cada criança deveria levar um livro para a sala de aula e, ao final da leitura, repassar ao colega. Assim, levava quase que todo o ano letivo para que tivesse seu livro de volta. “João lia, apenas na escola, uma média de 20 livros por ano. Isso foi muito relevante”, pontua Graziene.

Incentivo à leitura

Uma vez o livro pronto, escrito e ilustrado pelo próprio João em algumas folhas pautadas, Graziene não teve dúvidas em tornar o sonho do filho real. E não só isso, produtora cultural parceira de diversas iniciativas e prática em escolas da rede pública da capital, como aulas de música, arte e educação e yoga, ela logo pensou que o exemplo de João deveria ser passado adiante para, assim, influenciar outros jovens escritores Goiás afora. Foi daí que surgiu o convite a Dinorá, Francisco e Wender.

Para a mãe, seu objetivo principal com o projeto como um todo é contribuir, ainda que minimamente, para despertar nestas crianças que vão participar das oficinas e receber o livro gratuitamente, um desejo pela leitura. “Não é que queremos que elas se tornem escritoras e sigam esse exemplo. A escrita é uma conseqüência. Mas sabemos que o desenvolvimento do conhecimento científico, tecnológico e humano, em todas as áreas, só é possível se começar pela leitura. É ela que traz o conhecimento, é a fonte.”

Todas as escolas que receberem o projeto receberão também exemplares do livro para suas bibliotecas. As oficinas são gratuitas.

Palestra destinada a pais e professores

Por isso, Graziene fez questão da presença de Dinorá Cançado no lançamento do projeto, com a palestra “Leitura, Cidadania e Transformação Social”, destinada não só a professores, pais e mães de crianças e demais profissionais que circundam o universo da educação infantil, mas também a todos os interessados por arte e educação.

Na palestra, Dinorá irá comentar estudo sobre pesquisa a respeito de projetos de fomento à leitura desenvolvidos em escolas, bibliotecas e os de iniciativas da sociedade civil, levados adiante por atores sociais, na maioria das vezes informais, no Distrito Federal (DF).

“A máxima a ser considerada ao enfocar esse tema é a de que o indivíduo que lê e que desenvolve sua criticidade é um cidadão participativo, está à frente de outros, torna-se mais bem informado e mais sábio no que se refere a seus direitos e deveres. Portanto, é aquele que caminha em busca da cidadania plena”, defende Dinorá. (Taynara Borges)

Lançamento de O Primeiro Ovo – de João Luiz da Silva Meireles Mourão

Goiânia – 09/10 (segunda-feira)
Encontro com João Luiz e Dinorá Couto Cançado
Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro
Horário: 20 horas
Entrada gratuita

Corumbá de Goiás – 17/10 (terça-feira)
Encontro com João Luiz (e Dinorá?)
Local palestra: Cine Teatro
Horário: 19:30
Oficina com Wender Francisco de Assis
Local: Escolas Municipais Bernardo Élis, Benedito de Fontes Leal, Benigno Gomes Teles, Feliciana de Sousa Leite – turno matutino e vespertino

Cidade de Goiás – 18/10 (quarta-feira)
Encontro com João Luiz (e Dinorá?)
Local palestra: Espaço Conviver
Horário: 19:30
Oficina com Wender Francisco de Assis
Local: Escola Municipal Sonho Infantil – turno vespertino

Goiânia – 20/10 (sexta-feira)
Oficina com Wender Francisco de Assis
Local: Escola Municipal Ary Ribeiro Valadão Filho – turno vespertino