Mariza Sabino

As oportunidades são para os cargos de consultores de venda e call center, operadores de caixa, estoquistas e estagiários de cursos afins à moda. Salários variam de R$ 1.100,00 a R$ 1.500, mais benefícios

A nova loja âncora do Estação da Moda Shopping, a República da Moda, em Goiânia, está com 50 vagas abertas para os cargos de consultores de venda e call center, operadores de caixa, estoquistas e para estagiários de cursos ligados à moda. As oportunidades são para preendimento imediata e com salários que variam de R$ 1.100,00 a R$ 1.500, mais benefícios e comissão para alguns cargos. O recebimento de currículos, com informação sobre o cargo pretendido, ocorrerá no dia 4 de setembro, de 9h às 18h, em frente à loja da República da Moda, que fica próxima à entrada norte do Estação da Moda, localizado no Setor Norte Ferroviário, Região da 44, famoso polo atacadista da capital.

A distribuição das vagas será a seguinte: 20 vagas para consultores de vendas, com exigência de curso superior em qualquer área ou que esteja cursando. Para candidatos com nível médio serão disponibilizadas 8 vagas para consultores de call center, 4 para operadores de caixa e  8 para estoquistas, sendo que para este cargos não será exigido experiência prévia. Para estagiários, serão 10 vagas para estudantes de cursos relacionados à moda.

Além do salário, estão previstos benefícios como vale-transporte e vale-refeição. Para os cargos de consultores de venda e call center há previsão de pagamento de comissão sobre vendas. Segundo o empresário e um dos sócios da República da Moda, Peterson Demes, a loja atacadista irá oferecer treinamento para os novos contratados. “Vamos ensinar uma nova profissão e transformar seus consultores de vendas online em verdadeiros cientistas de vendas”, afirma Demes. 

Bom momento
A oferta de 50 vagas de emprego para uma única loja é reflexo do bom momento do setor da moda em Goiás. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apontam que neste ano, o setor tem registrado uma reação positiva no que diz respeito à criação de postos de trabalho, com um saldo positivo, entre janeiro e julho, de 1.200 vagas, praticamente revertendo o resultado negativo de dezembro, quando 2018 encerrou com o fechamento de pouco mais de 1.300 emprego no segmento.

Com uma produção de 50 milhões peças por ano e ocupando o lugar de sexto maior produtor de vestuário do País, o Estado  tem na indústria da moda uma atividade que vem se consolidando como grande geradora de oportunidades de trabalho. Atualmente, o setor emprega 31 mil pessoas diretamente e outras 60 mil indiretamente, segundo  dados da Secretaria de Planejamento do Estado (Seplan).