*** por Paulo Fernandes para rockontro.org

Schubert_00

Há momentos da minha vida que estão entrelaçados com a música (e o cinema, e a literatura). Resolvi revolver a memória e escrever sobre estes momentos.

“IMPROVISO Nº3” DE FRANZ SCHUBERT

Eu tinha por volta de 13 anos e economizava o dinheiro do lanche da escola para poder acompanhar duas coleções maravilhosas que a saudosa Abril Cultural soltava nas bancas de revistas: “Clássicos da Literatura Juvenil” e “Grandes Compositores da Música Universal”, estes eram fascículos com vida e obra dos compositores, acompanhados de discos de 10 polegadas com algumas peças musicais. O volume de Franz Schubert vinha com a “Sinfonia Inacabada” e algumas peças para piano chamadas “Momentos Musicais”. Eu estava ouvindo o disco no quarto – que eu dividia com meu irmão – de porta fechada, minha mãe veio me chamar para o almoço e fez um de seus costumeiros comentários jocosos/carinhosos: “Você vai acabar doido igual a esses caras (os compositores)”, talvez ela tenha acertado na sua profecia.

O Fascículo de 1973

O fascículo de 1973

Dez anos depois a Abril lançou uma nova coleção de música clássica com o nome de “Mestres da Música”. Edições mais caprichadas, gravações mais recentes e, desta vez, em discos de 12 polegadas. Num dos fascículos – alguns compositores tinham mais de um volume – dedicado a Franz Schubert, só com peças para piano (incluindo os “Momentos Musicais”), estava uma joia que eu não conhecia até então: “Impromptu (Improviso) nº 3”. Linda demais! Essa música fez parte – quase de cabo a rabo – do filme “Linda Demais para Você”, uma comédia genial que termina com o personagem doGérard Depardieu se virando para a câmera e bradando para pararem com o Schubert. Este filme foi dirigido por Bertrand Blier, em 1989.

O fascículo de 1983

O fascículo de 1983