Em 8 de março comemora-se o Dia Internacional da Mulher, para celebrar as conquistas femininas e também para analisar o quanto ainda falta para chegar à igualdade de direitos. Dados recentes do IBGE revelam que a taxa de ocupação (proporção entre a população ocupada e a população em idade ativa) das mulheres ainda é inferior à dos homens. No fechamento de dezembro de 2015, o nível de ocupação das mulheres era de 44,3%, enquanto o de homens, de 61%. A boa notícia é programas de inclusão social e profissional estão atacando diretamente esse problema.

Recente balanço do CIEE, por exemplo, indica que as mulheres são maioria entre estagiários (63,62%) e aprendizes (51,97%). O percentual de estudantes do sexo feminino no banco de talentos do CIEE também é maior, chegando a 57%. Esses programas são voltados ao empoderamento e à inclusão social dos beneficiados, por meio da capacitação profissional. “A maioria feminina entre nossos capacitandos é um dos melhores sinais de que estamos contribuindo para um futuro mais igualitário”, analisa Luiz Gonzaga Bertelli, presidente do Conselho de Administração do CIEE. (Lucíola Correa)