COMUNICAÇÃO SEM FRONTEIRAS

Em ação proposta pela plataforma de soluções habitacionais MRV, entidades filantrópicas são beneficiadas com a doação de cestas básicas por cada mês em que muros dos edifícios residenciais não são pichados. Iniciativa se transformou em pacto que conta com a adesão da sociedade. Empresa registrou quase fim de depredações 

Cidades de todos os portes sofrem com intervenções de pichadores em fachadas de comércios e residências, muitas vezes as pichações ocorrem pelo fato de os depredadores não demonstrarem consciência coletiva sobre a importância de se cuidar do espaço urbano. Para estimular essa consciência e melhorar o aspecto dos bairros da Região Metropolitana de Goiânia, empresas estão propondo um pacto social com os pichadores ao se comprometer em doar cestas básicas para instituições de caridade quando os muros não são pichados.

Um exemplo de empresa que usa essa estratégia é a plataforma de soluções habitacionais MRV. A companhia distribuiu placas ao longo dos muros dos seis empreendimentos que estão em construção em Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis para sensibilizar os pichadores. Segundo o diretor de produção da MRV em Goiás, Raphael Paiva, o objetivo da ação, que é realizada nacionalmente pela empresa, é fazer doações de cestas básicas nos meses em que os muros não são pichados, com isso sensibilizar os pichadores e fazer o bem às instituições que necessitam de ajuda.

“A ideia é entregar uma cesta básica a cada 190 unidades em construção. Dessa forma, são doados cerca de três cestas básicas por empreendimento, o que dá algo em torno de 18 cestas por mês”, destaca o diretor. Segundo ele, a ação tem gerado bons resultados. “Estamos com essa iniciativa há cerca de três anos e tem dado certo porque tivemos muros pichados em apenas duas vezes durante esse período”, avalia Paiva. Ao longo do ano, há a possibilidade de as doações aumentarem com o lançamento de novos empreendimentos.

As entregas das cestas são feitas trimestralmente, o que rende 54 cestas básicas acumuladas ao longo dos três meses para instituições filantrópicas. Uma das beneficiadas, em dezembro, foi a instituição hospitalar e educacional Casa de Eurípedes, que atende cerca de 250 pacientes com cinco refeições por dia. De acordo com a coordenadora da área de doações do projeto Amigos da Casa de Eurípedes, Fátima Castro, a instituição se mantém por meio de donativos para atender pacientes que enfrentam transtornos físicos, mentais e dependência química.

“Essas parcerias fazem a diferença porque são essas ajudas que fazem com que milhares de pacientes sejam atendidos por profissionais de saúde, enfermeiros, psicólogos, nutricionistas, técnicos de enfermagem e outros colaboradores que atuam de forma integrada e dinâmica”, destaca Castro.