Larissa Mundim / zeroum comunicação

Mais de 70% da população brasileira não frequenta bibliotecas públicas. Livrarias também têm acesso restrito, por estarem concentradas em capitais, especialmente no Sul e no Sudeste do Brasil. A democratização de acesso ao livro, à leitura e à escrita é o tema do segundo seminário do Projeto Madalena Caramuru que, nesta quarta (30/9), às 9 horas, tem como convidado o fundador do Instituto de Leitura Quindim, Volnei Canônica. Com apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás, a atividade integra o programa de capacitação on-line para gestores de bibliotecas públicas e será transmitida pelos canais da Nega Lilu Editora no Facebook e no Youtube.

Segundo Volnei Canônica, falta o entendimento de que a leitura é uma necessidade e um direito humano, uma das principais barreiras para os avanços em políticas públicas para a cadeia produtiva do Livro e para o mercado editorial também. “É necessário problematizar e entender melhor essas informações para buscar soluções e construir territórios leitores, para isso é fundamental o diálogo entre sociedade e o poder público”, defende.

Ex-secretário executivo do Ministério da Cultura, Canônica acompanhou a elaboração do Plano Nacional do Livro e da Leitura (PNLL) e a sanção da Política Nacional da Leitura e do Livro, marcos legais que embasam a programação do Projeto Madalena Caramuru. Também já coordenou no Instituto C&A de Desenvolvimento Social o programa Prazer em Ler e foi assessor na Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ). Na Secretaria Municipal de Cultura de Caxias do Sul, assessorou a criação do Programa Permanente de Estímulo à Leitura / Livro Meu. Atualmente, ele preside o Instituto de Leitura Quindim, é diretor do Clube de Leitura Quindim.

O Projeto Madalena Caramuru é dedicado a educadores, bibliotecários, mediadores de leitura, pesquisadores, estudantes da cadeia produtiva do livro e entusiastas da leitura e da escrita. Por meio de parceria com a UFG, as 70 horas de atividade, programadas entre setembro de 2020 e março de 2021, têm status de projeto de extensão e certifica os participantes inscritos no evento: https://www.even3.com.br/pmc2020 .

“A biblioteca pública é um dos equipamentos sociais mais importantes para o fortalecimento da Cultura no município. É também um espaço fundamental para estimular a leitura e formar leitores mais críticos da realidade”, defende a escritora e editora, Larissa Mundim, coordenadora do Projeto Madalena Caramuru. Segundo ela, o programa de capacitação on-line conta com a participação sistemática de 28 gestores de bibliotecas públicas, representantes de 22 municípios goianos. Conheça a lista de bibliotecas contempladas abaixo.

Até março de 2021, os Grupos de Trabalho e público em geral vão manter contato com as diretrizes da Política Nacional da Leitura e da Escrita (PNLE), com tecnologias sociais premiadas de estímulo à leitura e o debate sobre inovação do mercado editorial. Para conduzir as discussões, o programa prevê palestra e oficinas com especialistas como Aline Rochedo Pachamama (Pachamama Editora), Volnei Canônica (Instituto de Leitura Quindim), Alessandra Roscoe (UniduniLer), Tatiana Nascimento (padê editorial), Elisa Machado (ex-coordenadora do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas), Claudine Duarte (Calangos Leitores) e Larissa Mundim (NegaLilu Editora). Veja programação completa abaixo.

A equipe técnica do Projeto Madalena Caramuru vai conduzir as atividades dos Grupos de Trabalho (GTs) com o intuito da elaboração conjunta do “Relatório de Impacto do Projeto Madalena Caramuru sobre rotinas e práticas de gestão das bibliotecas públicas de Goiás e suas demandas urgentes”. De acordo com Larissa Mundim, o documento será encaminhado ao poder público em âmbito municipal, estadual e federal.

Sobre Madalena Caramuru

Madalena Caramuru era a filha de índia tupinambá Paraguaçu com o náufrago português Diogo Álvares Correia (mais conhecido por Caramuru), que se alfabetizou no ano de 1534, em Salvador/BA. Naquele tempo, a leitura e a escrita eram privilégio dos homens e das mulheres da realeza apenas. É atribuída a ela a autoria de uma carta dirigida ao chefe da primeira missão jesuística, o padre Manoel da Nóbrega, em 1561, na qual denuncia e pede o fim de maus-tratos às crianças indígenas e requer o início da educação feminina. Madalena Caramuru não somente se tornou a primeira mulher a interpretar e usar o código linguístico na história do Brasil, como também a primeira a usá-lo para lutar pela ampliação do direito à Educação. Sua importância para a construção da nação brasileira ainda não se encontra amplamente difundida. Um projeto desta dimensão sócio-cultural batizado com seu nome cumpre, minimamente, função de reparação histórica.

Confira a PROGRAMAÇÃO do Projeto Madalena Caramuru

30/9 (quarta-feira) – carga horária: 3 h/a

LIVE_Transmissão em tempo real pelo Facebook e pelo Youtube

9h às 12h – Encontro com especialista – Tema: “Os desafios da democratização do acesso ao livro, à leitura e à escrita”, com Volnei Canônica (Instituto de Leitura Quindim)

02/10 (sexta-feira) – carga horária: 3 h/a

14h às 17h – Trabalho de Grupo

Equipe técnica: Geisa Müller (coordenação), Keyla de Faria e Thiago Pitaluga

Transmissão restrita para integrantes dos GTs

09/10 (sexta-feira) – carga horária: 6h30 h/a

8h30 às 12h – Encontro com especialista: Oficina: Mediação de Leitura, com Claudine Duarte (Calangos Leitores). Transmissão restrita para integrantes dos GTs.

14h às 17h – Trabalho de Grupo

Equipe técnica: Geisa Müller (coordenação), Keyla de Faria e Thiago Pitaluga

Transmissão restrita para integrantes dos GTs

23/10 (sexta-feira) – carga horária: 6 h/a

LIVE_Transmissão em tempo real pelo Facebook e pelo Youtube

9h às 12h – Encontro com especialista – Tema: “Os sistemas e as redes como estratégia para o fortalecimento das bibliotecas públicas”, com Elisa Machado.

14h às 17h – Trabalho de Grupo

Equipe técnica: Geisa Müller (coordenação), Keyla de Faria e Thiago Pitaluga

Transmissão restrita para integrantes dos GTs

06/11 (sexta-feira) – carga horária: 6 h/a

LIVE_Transmissão em tempo real pelo Facebook e pelo Youtube

9h às 12h – Encontro com especialista: Desenvolvimento da economia do livro a partir do mercado editorial independente, com Larissa Mundim (NegaLilu Editora)

14h às 17h – Trabalho de Grupo

Equipe técnica: Geisa Müller (coordenação), Keyla de Faria e Thiago Pitaluga

Transmissão restrita para integrantes dos GTs

20/11 (sexta-feira) – carga horária: 6h30 h/a

LIVE_Transmissão em tempo real pelo Facebook e pelo Youtube

8h30 às 12h – Encontro com especialistas: “A bibliodiversidade e o fortalecimento dos grupos sub-representados”, com Aline Rochedo Pachamama (Pachamama Editora) e Tatiana Nascimento (padê editorial).

14h às 17h – Trabalho de Grupo

Equipe técnica: Geisa Müller (coordenação), Keyla de Faria e Thiago Pitaluga

Transmissão restrita para integrantes dos GTs

04/12 (sexta-feira) – carga horária: 6 h30 h/a

8h30 às 12h – Encontro com especialista: Oficina: Mediação de Leitura, com Alessandra Roscoe (Uniduniler Todas as Letras). Transmissão restrita para integrantes dos GTs.

14h às 17h – Trabalho de Grupo

Equipe técnica: Geisa Müller (coordenação), Keyla de Faria e Thiago Pitaluga

Transmissão restrita para integrantes dos GTs

15/01 (sexta-feira) – carga horária: 4 h/a

14h às 18h – Trabalho de Grupo

Equipe técnica: Geisa Müller (coordenação), Keyla de Faria e Thiago Pitaluga

Transmissão restrita para integrantes dos GTs

29/01 (sexta-feira) – carga horária: 4 h/a

14h às 18h – Trabalho de Grupo

Equipe técnica: Geisa Müller (coordenação), Keyla de Faria e Thiago Pitaluga

Transmissão restrita para integrantes dos GTs

05/02 (sexta-feira) – carga horária: 4 h/a

14h às 18h – Trabalho de Grupo

Equipe técnica: Geisa Müller (coordenação), Keyla de Faria e Thiago Pitaluga

Transmissão restrita para integrantes dos GTs

12/02 (sexta-feira) – carga horária: 4 h/a

14h às 18h – Trabalho de Grupo

Equipe técnica: Geisa Müller (coordenação), Keyla de Faria e Thiago Pitaluga

Transmissão restrita para integrantes dos GTs

26/03 (sexta-feira) – carga horária: 6 h30 h/a

8h30 às 12h – Trabalho de Grupo

Equipe técnica: Geisa Müller (coordenação), Keyla de Faria e Thiago Pitaluga

14h às 17h30 – Seminário de Encerramento – EVENTO PRESENCIAL (sujeito às condições de segurança sanitária)

Madalena Caramuru: performance de contação de histórias, com Cia. Ju Cata-Histórias

Avaliação dos trabalhos do programa de qualificação dos gestores de bibliotecas públicas

Apresentação do “Relatório de Impacto do Projeto Madalena Caramuru sobre rotinas e práticas de gestão das bibliotecas públicas de Goiás e suas demandas urgentes”

Exibição do documentário do Projeto Madalena Caramuru

Local: Centro Cultural da UFG

TOTAL: 70 horas/aula