Apoiado pela Prefeitura de Goiânia, projeto tem como objetivo orientar a população sobre o descarte correto do lixo orgânico

Nesta terça-feira, 1º de março, será lançado o Projeto Residência Resíduo Zero Goiânia. A ideia é divulgar e praticar um novo conceito na destinação dos resíduos produzidos em casa. A iniciativa é da Sociedade Resíduo Zero com apoio da Prefeitura de Goiânia, por meio da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) e da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA); da Embaixada dos Estados Unidos e da Total Educação e Cultura.

Nesta primeira etapa, o projeto vai selecionar 100 residências em Goiânia para aplicar o conceito. Serão definidos os resíduos produzidos em casa, com sua destinação correta, objetivando reaproveitar ao máximo esse material e destinando apenas uma pequena parcela para o descarte em aterro sanitário.

O que é Resíduo Zero?
Projeto é um conceito já aplicado em diversas cidades do mundo. A família selecionada vai receber informações por meio de folhetos, palestras e acompanhamento via internet. O primeiro passo é saber classificar e separar os resíduos em casa. Uma parte vai para a coleta seletiva, já existente na Capital, e outra, a menor, para o aterro.

Para os resíduos orgânicos, a Sociedade Resíduo Zero vai fornecer um kit de compostagem, visando aplicar a técnica, que consiste em transformar este tipo de material em outros produtos, principalmente adubo, que poderá ser utilizado pela própria família ou disponibilizado para o cultivo de produtos orgânicos. Hoje, muitas cidades no mundo estão reduzindo ou eliminando sistemas de coleta de lixo em função da aplicação deste conceito.

Para o presidente da Comurg, Edilberto Dias, se todas as partes envolvidas no projeto (organizadores, população e poder público) colaborarem, os resultados com certeza serão positivos. “Em uma cidade com quase 1,5 milhão de habitantes, temos que estar sempre em busca de alternativas para os resíduos produzidos pela população”, ressalta o gestor.

Os interessados podem se inscrever até o dia 10 de março, exclusivamente através da internet, com o preenchimento de um cadastro simples, no endereço www.residenciazero.com.br. As 100 residências selecionadas vão receber, gratuitamente, todo o treinamento e o kit para a aplicação do conceito.

Técnicos vão acompanhar cada passo dessa primeira etapa, que será desenvolvida até o final do mês de junho. Ao término deste período, as 100 famílias estarão aptas a seguir com a prática. A intenção é abrir novas parcerias, em um segundo momento, para levar o projeto a um novo grupo de residências.

Quem está à frente do projeto?
A ONG Sociedade Resíduo Zero coordena as ações do projeto, que começa pela capital goiana. A entidade vem trabalhando a articulação com organismos públicos e da sociedade, visando a viabilização das práticas sustentáveis à vida cotidiana dos cidadãos.

Essa primeira etapa do projeto tem a parceria da Embaixada dos Estados Unidos e da Total Educação, contando com apoio da Comurg, Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Universidade Federal de Goiás (UFG), entre outros. O projeto foi idealizado e é coordenado pelo engenheiro civil Diógenes Aires, um dos responsáveis pelo projeto da Coleta Seletiva existente hoje em Goiânia.

Como será feito o lançamento?
O projeto será apresentado através de uma palestra, a ser realizada no auditório da Fieg, em Goiânia. Na oportunidade, serão mostradas as bases do projeto com a divulgação das inscrições. Evento será aberto a toda população. (SECOM/Goiânia)

Serviço
Assunto: Lançamento do Projeto Residência Resíduo Zero Goiânia
Data: 1º de março, terça-feira
Horário: 19 horas
Local: Auditório da FIEG – Casa da Indústria (Av Araguaia, 1544 – Vila Nova)