Exposição está em cartaz no CCBB Brasília até 4 de julho. São mais de 100 obras, além de atividades imersivas e lúdicas que colocam o público em contato direto com as ideias do movimento que revolucionou as artes visuais. Exposição conta com audioguias, visitas monitoradas e outras facilidades para o público.

Captura de Tela 2016-05-18 às 12.07.03

Desde a estreia em Brasília, no dia 21 de abril, a exposição Mondrian e o Movimento de Stijl recebeu mais de 75 mil pessoas no Centro Cultural Banco do Brasil. A mostra traz cerca de 100 obras, trinta delas do próprio Mondrian. São quadros do artista e de contemporâneos, que também fizeram parte do movimento. Além disso, há maquetes, móveis, objetos, projetos arquitetônicos, fotografias, exemplares da revista De Stijl e diversas atividades lúdicas e imersivas. Tudo para potencializar o contato dos visitantes com o movimento que representou uma mudança significativa nas artes visuais e que até hoje é vista como moderna.

Entre as atividades imersivas, Brasília conta com uma exclusividade. O Pavilhão de Vidro do CCBB se transformou na maior reprodução de obras de Mondrian já feita. Inspirada em três composições marcantes da fase neoplástica do artista, a instalação consiste no revestimento de uma área dos 530m² do pavilhão. Com iluminação que permite que a obra seja vista de longe, a estrutura faz com que o público se sinta dentro dos quadros do artista.

A Exposição Mondrian e o Movimento de Stijl traz também atividades lúdicas que aproximam os visitantes das ideias dos artistas da época. Crianças e adultos podem reproduzir o último quadro de Mondrian, Victory Boogie Woogie, num grande quebra-cabeça de imãs. Há ainda um jogo de videogame em que os participantes são desafiados a montar uma obra do mestre neoplasticista virtualmente, além de espaço para selfies dentro de um dos quadros de Mondrian e em uma reprodução gigante da famosa Cadeira Vermelho e Azul de Gerrit Rietveld. Peças do designer também foram construídas em tamanho menor, especialmente para crianças.

Com foco no público infantil, o programa educativo do CCBB de Brasília preparou uma série de atividades ligadas à exposição. O projeto Pequenas Mãos coloca as crianças dentro de um quarto branco e as desafia a pintar o ambiente com as cores primárias usadas por Mondrian. O Educativo traz ainda atividades musicias, teatrais e contação de história. Os educadores utilizam bonecos, objetos cotidianos e músicas com objetivo de é proporcionar um novo olhar sobre a exposição e aproximar as crianças do universo do Movimento de Stijl. É possível marcar visitas mediadas gratuitas para grupos, escolas, professores, crianças, idosos, pessoas com deficiências e ONGs. Há também visita mediada em libras às quintas, sextas e sábados, das 9h às 17h.

Para facilitar ainda mais a vida do visitante o CCBB oferece a possibilidade de agendamento de horário para visitas à exposição no link: https://web.upingressos.com.br/. Os visitantes contam ainda com audioguias em peças selecionadas da exposição. O aplicativo pode ser baixado no celular e, por meio de QR codes, disponibiliza informações completas sobre as obras. O museu disponibiliza também ônibus gratuito, que passa por pontos centrais de Brasília e deixa o visitante no CCBB. Horários e trajetos podem ser conferidos em:http://bit.ly/1vqIbNO

Vale ressaltar: até mesmo os menus do café e do Bistrô Bom Demais trazem novidades especialmente criadas para a mostra. O bolo de pão de ló, que reproduz as obras com cores primárias de Mondrian, já virou sucesso no cardápio e o sanduíche com linguiça holandesa, mostarda e cebolas grelhadas – uma homenagem ao país de origem do artista – se tornou uma atração à parte.

Mondrian e o movimento De Stijl, nome da exposição que o CCBB em parceria com Art Unlimited preparou para os brasilienses, é uma oportunidade imperdível. “Organizamos tudo para que o visitante possa acompanhar esse percurso e entender que aqueles retângulos coloridos que povoam até hoje o imaginário do moderno, e são tão facilmente reconhecíveis, não nasceram de uma hora para outra, nem por acaso”, explica o curador da exposição, Pieter Tjabbes. A exposição, que é gratuita, acontece no CCBB de Brasília e segue para outras capitais. No CCBB de Belo Horizonte abre dia 20 de julho. E, finalmente, a partir de 12 de outubro, no Rio de Janeiro. (AGÊNCIA TALES ROCHA)

SERVIÇO

CCBB BRASÍLIA

De 21.04.2016 até 04.07.2016

Setor de Clubes Sul, Trecho 2 (próximo à ponte JK)

Edifício Tancredo Neves – (61) 3108-7600

Horário: quarta a segunda, das 9h às 21 horas

 

CCBB BELO HORIZONTE

Abertura ao público: 20.07.2016 até 26.09.2016

Praça da Liberdade, 450 – Funcionários – (31) 3431-9400

Horário: quarta a segunda, das 9h às 21 horas

 

CCBB RIO DE JANEIRO

Abertura ao público: 12.10.2016 até 09.01.2017

Rua Primeiro de Março, 66 – Centro – (21) 3808-2020

Horário: quarta a segunda, das 9h às 21 horas