Ao lado da mãe, a apresentadora relembrou os momentos difíceis do tratamento. Sabrina e outras mulheres que venceram a doença são protagonistas do vídeo da campanha “Juntas pra curtir, juntas pra se cuidar”.

 

O apoio da família e dos amigos é essencial para uma resposta positiva ao tratamento contra o câncer de mama. Pensando nisso, o Instituto Avon, principal mobilizador da causa do Outubro Rosa no país, lançou a campanha Juntas pra curtir, juntas pra se cuidar. O objetivo é incentivar que as mulheres conversem com suas amigas, mães e irmãs sobre a importância de realizar os exames de prevenção ao câncer de mama regularmente, criando uma rede de engajamento para o combate à doença, além de apoiar as mulheres que recebem este diagnóstico.

O vídeo, lançado nesta segunda-feira, traz a apresentadora Sabrina Parlatore e sua mãe, Marcia Tauil, falando sobre o momento da descoberta do câncer de mama. “Ela me veio com a notícia, então foi um susto, um baque terrível”, conta a mãe da apresentadora. “Eu comecei a focar na solução, na resolução do problema. Falei: vou fazer o que tiver que ser feito, cirurgia, quimio, rádio”, diz Sabrina Parlatore.

Além da apresentadora e sua mãe, o vídeo mostra as histórias inspiradoras de outras mulheres que, com o apoio de suas amigas, tiveram ainda mais forças para vencer a doença. A campanha está sendo divulgada no Facebook do Instituto Avon. O download do vídeo pode ser feito AQUI.

O Instituto Avon, organização ligada a uma empresa privada que mais investe financeiramente em ações voltadas para a mulher no Brasil, abraçou esta causa há 13 anos. O Instituto Avon é o principal mobilizador da campanha do Outubro Rosa no país. Desde 2003, já investiu R$ 61 milhões em 133 projetos e ações para o combate ao câncer de mama.

Os projetos de combate à mortalidade por câncer de mama financiados pelo Instituto Avon já beneficiaram mais de dois milhões de mulheres. Já foram doados 37 mamógrafos e 25 aparelhos de ultrassom que juntos realizaram mais de 2 milhões de mamografias e 320 mil ultrassonografias, possibilitando a detecção de mais de 33 mil diagnósticos de câncer de mama.

“Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa é que mais de 57 mil novos casos de câncer de mama sejam descobertos no Brasil este ano. Quando diagnosticado no início, a chance de cura é de até 90%. Quando o tumor é percebido apenas na mamografia e não sentido na apalpação das mamas, o seu crescimento ainda está controlável com maior chance de cura”, disse a mastologista Rita Dardes, consultora médica do Instituto Avon.

A realização frequente de mamografias em mulheres sem sinais ou sintomas de câncer de mama, ou seja, aparentemente saudáveis, por exemplo, pode reduzir a mortalidade por esse tipo de câncer em cerca de 30%. Por isso, a recomendação da Sociedade Brasileira de Mastologia é de que a mamografia seja realizada anualmente por mulheres a partir dos 40 anos.

A primeira causa assumida pelo Instituto Avon no Brasil foi o combate ao câncer de mama com foco na detecção precoce, causa liderada internacionalmente pela Avon Foundation for Women, desde 1993. Todo o trabalho é feito com o objetivo de salvar a vida de mulheres promovendo a detecção precoce do câncer de mama, investindo na geração e disseminação de informação e apoiando projetos que facilitem e agilizem o acesso aos exames de detecção precoce, como a mamografia, e diminuam o tempo de espera para o diagnóstico e tratamento. (FSB Comunicação)