Pela primeira vez fora de Seattle (EUA), exposição ‘Nirvana: Taking Punk to the Masses’ será inaugurada dia 22 de junho, no Museu Histórico Nacional

 

A Samsung Rock Exhibition, série inteiramente dedicada às exposições de rock e cultura pop, patrocinada pela Samsung, em parceria com o Ministério da Cultura e realização do Instituto Dançar, traz ao Rio de Janeiro a exposição Nirvana: Taking Punk to the Masses, com preços populares de R$ 20,00 a R$ 30,00.

A abertura será no dia 22 de junho, no Museu Histórico Nacional, localizado no centro histórico do Rio de Janeiro, onde ficará até 22 de agosto. Os objetos pertencentes a um dos maiores ícones do rock nos anos 90 ficarão distribuídos em uma área de aproximadamente 800m², para apreciação do público.

Organizado pelo Museu de Cultura Pop em Seattle (MoPOP), o acervo tem mais de 200 peças entre instrumentos icônicos, fotos, vídeos, depoimentos, álbuns, itens pessoais dos integrantes, cartazes, entre outras peças, que vão desde a origem do grupo, em Aberdeen, às grandes turnês internacionais.

O projeto compõe as atividades do calendário 2017 do Samsung Conecta, que oferece experiências únicas, na música e no esporte, para os consumidores brasileiros.

Essa é a primeira vez que a exposição, que tem como curador Jacob McMurray, sai do The Museum of Pop Culture (MoPOP) de Seattle, epicentro cultural, para ganhar outras regiões. A expectativa do público é alta, bem como a perspectiva dos fãs, que aguardam ansiosamente para regressar ao passado e entrar novamente na década das camisas xadrezes de flanela.

A exposição narra detalhadamente o processo criativo do disco In Utero, o último da banda, a morte de Kurt Cobain, em 1994, além de um mural com os 21 discos que fazem parte do acervo pessoal do baixista Krist Novoselic.

“O nosso objetivo é proporcionar uma experiência única aos brasileiros e a oportunidade de reviver, por meio dessa exposição, todos os momentos de uma das maiores bandas de rock do mundo, o Nirvana”, afirma Andréa Mello, Diretora de Marketing Corporativo e Consumer Electronics da Samsung Brasil.

Histórico

A ascensão do Nirvana se deu em 1989, com seu característico som agressivo do punk rock, energizado pelo metal e hard rock, quando lançou o primeiro disco intitulado “Bleach”. Durante a turnê de lançamento, Chad Channing foi substituído por Dale Crover e, posteriormente, por Dan Peters. O Nirvana encontrou então seu baterista definitivo, Dave Grohl, e a partir desde momento a banda cresceu meteoricamente. O segundo álbum, intitulado “Nevermind”, saiu pelo selo DGC em 1991, recheado de riffs marcantes e com o grande clássico “Smells Like Teen Spirit”, se tornando um dos discos mais vendidos até os dias de hoje.

A banda teve uma extensa rotina de shows em sequência, muitas vezes em estádios lotados, inclusive no extinto Hollywood Rock Festival, no Rio de Janeiro, em 1993, tocando para mais de 35 mil pessoas. Naquele ano, Nirvana voltou ao estúdio para gravar “In Utero”, outro álbum com excelentes composições como “Serve the Servants”.

Em 8 de abril de 1994, com a morte de Kurt Cobain, Nirvana encerrou suas atividades, mas sua música permaneceu viva. No final do mesmo ano, Dave e Krist lançaram o disco “Unplugged in New York”, com a histórica apresentação para a MTV e, dois anos depois, lançaram um especial ao vivo do grupo, “The Muddy Banks of the Wishkah”, com sucessos executados em shows pelo mundo. (Máquina Cohn&Wolfe)

SERVIÇO

Museu Histórico Nacional

End.: Praça Mal. Âncora, s/n – Centro, Rio de Janeiro – RJ

Exposição: de 22 de junho a 22 de Agosto.

Ingressos:

R$20,00 de terça a quinta-feira (R$10 meia entrada)

R$30,00 de sexta a domingo (R$15 meia entrada)

Horários de visitação: de terça a sexta, das 10h às 17:30h | Sábado, domingo e feriados, das 13h às 17h

Classificação: 16 anos

Período: 22/6 a 22/8