Disco traz interpretações marcantes das obras de Alberto Nepomuceno e Camargo Guarnieri; a regência é do maestro Fabio Mechetti

Parceria entre Selo Sesc e a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais traz um disco ímpar com a participação da conceituada pianista Cristina Ortiz. Ela e os músicos da filarmônica, sob a regência de Fabio Mechetti, apresentam três obras escritas para piano e orquestra por dois marcantes autores: Alberto Nepomuceno (1864-1920) com “Valsas Humorísticas” e Camargo Guarnieri (1907-1993) com “Concertino para piano e orquestra de câmara” e “Choro para piano e orquestra”. Gravado em junho de 2016 na Sala Minas Gerais, o CDGuarnieri e Nepomuceno chega às lojas no final de fevereiro.

Tanto Nepomuceno, novamente homenageado pelo Selo Sesc (em outubro do ano passado foi lançado o CD Quarteto Carlos Gomes – AlbertoNepomuceno), quanto Guarnieri, instigados pelas evocações humorísticas dos temas escolhidos, assinam suas obras com clareza, versatilidade e nitidez melódica.

As obras do disco dançam entre os limites dos gêneros e formas – a valsa, o choro, a suíte, o concerto e o rondó. Há entrelaços sutis com o instrumento solista, criando ambientes de música de câmara e o tratamento do piano.Cristina Ortiz aproveita as “brincadeiras” propostas pelos autores para mostrar todo o virtuosismo que a fez ser reconhecida mundo afora.

“Quanto mais tempo vivo no exterior, mais brasileira me sinto. Por bastante tempo evitei programar música de nossos compositores para não correr o risco de ser etiquetada: ‘a pianista da música brasileira’. Porém, com o passar dos anos chegou naturalmente o prazer forte de uma ginga, um sambinha, e o desejo que vem ao levar aos palcos um pouquinho de nossos mais variados ritmos, o gosto de nossa pimenta, a alegria de um Carnaval ou um pouco do saudosismo tão intrínseco à natureza do brasileiro”, afirma Cristina Ortiz.

Para o diretor regional do Sesc São Paulo, Danilo Santos de Miranda, o conteúdo deste disco apresenta em comum a capacidade criativa de seus compositores, reafirmando o lugar de destaque que ganharam na história. “Assim, ao trazer esse álbum para nosso catálogo, o Sesc corrobora sua missão educativa ao mesmo tempo em que abre caminho para futuras parcerias com outras instituições que compartilham conosco visões”.

O CD  custa R$20 e estará à venda a partir do fim de fevereiro nas unidades do Sesc e pelo site no link http://www.sescsp.org.br/livraria.

 

Selo Sesc

O Selo Sesc tem como objetivo registrar o que de melhor é produzido na área cultural. Constrói um acervo artístico pontuado por obras de variados estilos, da música ao teatro e cinema. Por exemplo, lançou em 2016 os CDs “MPB4 – 50 anos – O Sonho, a Vida, a Roda Viva!”, “Donato Elétrico” (de João Donato), “Rei Vadio” (Romulo Fróes) e “Portrait” (Maury Buchala), “Lambendo a Colher” (Rolando Boldrin), “Ascensão” (Serena Assumpção), “A Saga da Travessia” (Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz), “Novos Mares” (Fortuna) e “Curado” (sexteto Hurtmold e Paulo Santos) – além dos DVDs ”O Fim do Mundo, Enfim” e “O Sal da Terra – Uma Viagem com Sebastião Salgado”. Este ano já lançou o CD “Com Alma”, da Banda Mantiqueira. (Atelier de Imagem e Comunicação)