A cidade de Goiânia será palco de um dos debates mais importantes na área da Saúde. Amanhã, sexta-feira (11 de setembro), das 8h30min às 17h, será realizado no auditório da área 6 da PUC Goiás, o I Simpósio de Qualidade e Custos na Saúde – Gestão Governamental, OSs, Filantropia e Iniciativa Privada. Subdividido em quatro temáticas, o evento terá palestrantes de renome em cada uma das mesas-redondas organizadas em temas atuais como a acreditação, sustentabilidade e judicialização no Brasil.

Ao longo do dia, os participantes inscritos terão acesso a informações e experiência dos convidados sobre “A eficiência da Gestão de Saúde: um dilema mundial”, “Acreditação hospitalar: assegura qualidade?”, “A gestão dos custos hospitalares é limitante para a qualidade dos serviços?” e “Implicações jurídicas para a qualidade e os custos na saúde”.

Entre os palestrantes e moderadores confirmados estão o reconhecido autor da área jurídica em nível nacional, Rubens Naves, o Superintendente Técnico-Científico do Instituto Sócrates Guanaes (ISG), André Guanaes; o Secretário de Estado da Saúde de Goiás, Leonardo Vilela; os diretores técnico e executivo da Planisa, Marcelo Tadeu Carnielo e Sérgio Lopez; a Superintendente da Organização Nacional de Acreditação (ONA), Maria Carolina Moreno, a presidente e diretora de Certificação do Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde (IBES), Vanice Costa.

Com realização do Instituto Sócrates Guanaes (ISG) e do Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde (IBES), o Simpósio tem diversos patrocinadores e líderes de órgãos governamentais e instituições de referência nacional. Entre os incentivadores do evento estão o Grupo de Líderes Empresariais (LIDE), as Secretarias Estaduais de Saúde de Goiás e do Rio de Janeiro e também a Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Estado de Goiás (Femigo).

O I Simpósio abordará um dos grandes entraves para o desempenho adequado das unidades de saúde: a ausência de gestão eficiente. Quase 30 anos após a criação do Sistema Único de Saúde (SUS), a rede pública ainda enfrenta obstáculos econômicos e financeiros que retardam a consolidação dos princípios do modelo. Outro desafio é o gerenciamento dos custos em saúde com o aumento da população idosa no país e baixo investimento no setor, o que compromete a qualidade dos serviços ofertados à população.

Responsável por 10,16% do PIB nacional e com mais de 2,6 milhões de profissionais em atuação, o setor de saúde no Brasil apresenta dificuldades, mas possui exemplos de como fazer mais por menos. As propostas de descentralização com parcerias de gestão viabilizaram melhoria dos indicadores de produção e do atendimento. Como consequência direta, houve melhor distribuição orçamentária dos recursos para custeio e investimentos.

Nesse contexto, Goiás tem inovado e apresentado resultados positivos para a sociedade. A parceria entre o governo estadual e as organizações sociais conseguiu ordenar a demanda e atendimento por meio de transformações na estrutura física e funcional das unidades de saúde, condições de trabalho para os colaboradores e cumprimento da Política Nacional de Regulação.

O desempenho adequado de cada um dos aspectos relacionados às unidades impacta no processo de produção em saúde, ou seja, na saúde do paciente. A conservação da infraestrutura, do quantitativo e qualitativo de profissionais e especialidades, a manutenção preventiva dos equipamentos médicos, o controle dos estoques de materiais, as campanhas de saúde, a limpeza e até a destinação dos resíduos hospitalares, têm desdobramentos não apenas para a pessoa que procura atendimento, mas para todos ligados a ele.

Lançamento – Durante o evento, às 15h30min, o advogado goiano com carreira em São Paulo, Rubens Naves, lançará o livro “Organizações Sociais – A Construção do Modelo”. Na obra, o autor reproduz a trajetória inicial das OSs em relação à criação do modelo no governo de Fernando Henrique Cardoso com a chamada “Lei das OSs” e segue até os dias atuais. O novo modelo de gestão abrange as áreas da educação, saúde e cultura, pesquisas científicas e desenvolvimento tecnológico.

Naves é reconhecido no Brasil como expoente na área jurídica no segmento de Terceiro Setor e Parcerias Público- Privadas. Ele é ex-presidente da Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente, faz parte do Conselho de inúmeras entidades do terceiro setor, é fundador e conselheiro da ONG “Transparência Brasil”, faz parte do Conselho Editorial do Le Monde Diplomatique – Brasil e também é membro do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta. (Bastidores Comunicação)

Serviço:

I Simpósio de Qualidade e Custos na Saúde – Gestão Governamental, OSs, Filantropia e Iniciativa Privada

Quando: Amanhã, sexta-feira (11 de setembro de 2015)

Onde: auditório da área 6 da PUC Goiás, localizado na Rua 227, Quadra 66, nº 3669 Setor Leste Universitário

Horário: das 8h30min às 17h

Investimento: O preço do convite é R$ 350. Para inscrições em grupo e ou clientes IBES, o valor é de R$ 250.

Inscrições: realizadas exclusivamente pelo site do IBES (www.ibes.med.br)