Pesquisa divulgada na última semana pelo Ministério da Saúde revela que um em cada quatro brasileiros sofrem com a doença cuja principal causa é o alto consumo de sódio

Hipertensão 1 (Google)

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde no último dia 29 de junho, um em cada quatro brasileiros está hipertenso. Embora seja um alto índice, o número se manteve estável de acordo com pesquisas realizadas nos anos anteriores. As mulheres são as mais atingidas e o número de casos cresce conforme a idade aumenta. Segundo a médica endocrinologista e membro da Socieadade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Mariana Santos, após os 50 anos quase metade da população desenvolverá hipertensão.

Um dos grandes vilões que contribuem para o desenvolvimento da doença é o alto consumo de sal, mesmo que poucas pessoas julguem abusar do sódio. Segundo o Ministério da Saúde, o brasileiro consome em média 12g de sódio todos os dias, mais que o dobro do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de menos de 5g por dia. Outros fatores de risco sãohistórico familiar positivo – 25% de chances se um dos pais possuir a doença e 60% se forem os dois -, idade avançada, sobrepeso e obesidade, consumo de bebidas alcóolicas, sedentarismo, tabagismo e estresse. Pessoas negras também têm mais chances de desenvolverem a doença.

“Para prevenir a doença o mais importante é controlar os fatores de risco modificáveis, ou seja, manter o peso adequado, cortar bebida alcóolica e tabagismo e praticar atividade física regularmente. A dieta pobre em sal e deve ser incentivada e a maioria dos alimentos processados possuem grande quantidade de sódio em sua composição e devem ser evitados. Os pacientes que já sofrem com a doença devem tomar medicação para controle e evitar o uso de medicações que podem aumentar a pressão como antinflamatórios, corticoides, alguns antidepressivos. É importante manter um acompanhamento regular com um médico cardiologista”, afirma a médica endocrinologista.

A partir da hipertensão arterial, outras doenças podem surgir e os órgãos mais acometidos são o sistema nervoso central, o coração e os rins. “A Has é a principal causa de Acidente Vascular Cerebral isquêmico e hemorrágico. Ela também aumenta o risco de aneurisma e pode, cronicamente, levar à demência. No coração a hipertensão aumenta o risco de complicações agudas como o infarto agudo do miocardio e doenças anginosas relacionadas à aterosclerose. Cronicamente, a hipertensão pode sobrecarregar o músculo cardíaco, bem como os rins, levando à insuficiência dos dois órgãos”, finaliza. (Plena Criativa)