Com apoio da Hemorrede, maternidades municipais lançam campanha “Doe sangue a quem gera vida”

Monique Pacheco

Neste mês das mães, HMDI e MNC recebem unidade móvel do Hemocentro e mobilizam colaboradores e familiares de pacientes a doarem sangue para repor o baixo estoque da rede durante a pandemia. Em junho, ação acontecerá no HMMCC

Nos próximos dias 25 e 26 de maio, em alusão ao mês das mães, o Hospital e Maternidade Dona Iris (HMDI) e a Maternidade Nascer Cidadão (MNC) receberão a unidade móvel do Hemocentro Goiás para coleta de doações de sangue. Em junho, a ação acontecerá no Hospital e Maternidade Municipal Célia Câmara (HMMCC), que atende exclusivamente pacientes suspeitos ou confirmados de Covid, incluindo gestantes. A iniciativa visa contribuir a repor os estoques de bolsas na Hemorrede pública estadual, que vive déficit significativo de sangue e hemocomponentes neste período de pandemia.

Com o mote “Amor de mãe se multiplica – Doe Sangue a quem gera vida”, as maternidades esperam estimular colaboradores e familiares das pacientes a doarem, e até mulheres que já são mães para fazerem o mesmo. Diretora-geral do HMDI, dra. Marta Finotti destaca que uma única doação pode salvar a vida de até 4 pessoas.

“Em cada doação, uma pessoa doa, no máximo, 450 ml de sangue, que representa menos de 10% do sangue em circulação no corpo, e em cerca de um dia, o organismo já repõe a quantidade de sangue que foi retirado na doação. “É um ato voluntário, de amor. A vida de quem precisa não pode esperar! Ao fazer esse gesto, o doador pode dar esperança de vida e de saúde para quem precisa!”, comenta.

Dra. Marta reforça, ainda, que apenas 1,8% da população brasileira é doadora de sangue, e que a doação não é perigosa, tampouco prejudica o doador. “Além de salvar vidas, a doação é um ato de solidariedade! Convido todos os colaboradores do HMDI e seus familiares a participarem da campanha “Amor de mãe se multiplica. Doe Sangue a quem gera vida”, diz.

Em média, são realizadas mais de 160 transfusões de sangue para gestantes, puérperas e recém-nascidos internados no HMDI e na MNC por mês, sendo que algumas podem utilizar mais de uma bolsa. “Conclamamos os colaboradores e os servidores da MNC, e os colegas de outras unidades de saúde da Região Noroeste para se inscreverem e ajudarem a suprir o estoque do Hemocentro. É importante para nossas pacientes e toda comunidade”, pontuou Sebastião Teles, diretor-geral da Nascer Cidadão.

Os estoques dos bancos de sangue de todo o País precisam estar constantemente abastecidos, para atender tanto quem estiver em situação de emergência quanto para quem necessita de sangue com frequência e ainda antes ou durante uma cirurgia.  Melhor do que fazer a doação uma vez, é tornar esse gesto um compromisso, tornando-se um doador frequente. “Se cada pessoa saudável doasse sangue duas vezes ao ano, o sangue doado seria suficiente para manter os bancos em níveis satisfatórios”, comenta Marta Finotti.

Para a diretora-geral da Hemorrede Pública, Denyse Goulart, a parceria com as instituições municipais geridas pela FUNDAHC é muito importante para melhorar o déficit dos estoques em todo o estado de Goiás. “O apoio a nossa causa, vendo a necessidade do aumento dos estoques de sangue é muito importante. A expectativa com a campanha é grande, as unidades estão nos auxiliando em um momento delicado, quando os estoques caíram 20%”, ressalta a diretora.

Quem pode doar?
Para fazer uma doação de sangue é necessário estar saudável, ter peso acima de 50 kg, apresentar documento com foto válido em todo o território nacional e idade entre 16 e 59 anos, sendo que antes de completar 18 anos é necessária uma autorização dos pais ou responsáveis.

A orientação é que doadores acima de 60 anos fiquem em casa, visto que são pessoas do grupo de risco do novo coronavírus.

Quem tomou a vacina da febre amarela deve aguardar 30 dias para fazer uma doação. Já para vacina contra gripe, o prazo é de 48 horas.

No caso da vacina contra o novo coronavírus é preciso esperar 48 horas após a Coronavac ou Covaxin, e sete dias após a aplicação das demais.

Pessoas que tiveram contato com pacientes infectados ou com suspeita de Covid-19 devem ficar 14 dias sem poder doar. Já para quem foi considerado caso suspeito ou confirmado, o prazo de inaptidão é de 30 dias após a remissão dos sintomas.

A orientação é que os voluntários façam o agendamento da doação e, no dia, compareçam com um documento original com foto e que não deixem usar máscara cobrindo a boca e o nariz para irem até o local de doação.

As doações no HMDI serão feitas no dia 25, terça-feira, e na MNC, no dia 26, quarta-feira, em ambas, das 8h às 16h.


SERVIÇO

Campanha “Doe sangue a quem gera vida”

Quando: 25 de maio, terça-feira, das 8h às 16h

Onde: Hospital e Maternidade Dona Iris (HMDI), Alameda Emílio Póvoa, 165 – Vila Redenção

Agendamentos: (62) 3956-8871

Quando: 26 de maio, quarta-feira, das 8h às 16h

Onde: Maternidade Nascer Cidadão (MNC), Avenida Oriente, Área 09, s/n, R. Noroeste

Agendamentos: (62) 3298-1214

Tags:

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS