unnamed (4)

Uma das principais preocupações para quem está planejando assistir aos jogos olímpicos é com relação à segurança. Segundo o estudo Unisys Security Insights, 77% dos brasileiros estão preocupados com a segurança no país durante as Olimpíadas 2016. Mesmo o governo disponibilizando um esquema reforçado de segurança para os dias de jogos, este é um tema que ainda gera muito debate, principalmente por conta das ameaças de terrorismo das últimas semanas e dos já habituais confrontos das cidades que receberão os atletas.

Diante desse cenário, o aplicativo Polícia Popular – lançado há dois meses e com mais de 6 mil downloads – funciona como uma alternativa eficaz contra os medos de assaltos e demais situações de violência prováveis durante os jogos.

Ele permite que as pessoas mandem alertas em tempo real sobre episódios de risco onde se encontram de forma muito rápida e fácil. O app tem como base a geolocalização e o comportamento colaborativo dos cidadãos. Assaltos, furtos, acidentes de carro e violência contra a mulher são alguns dos casos que podem ser notificados e até impedidos, dependendo da rapidez com que os alertas surgem nos aparelhos dos usuários, como o aviso de “suspeito”, por exemplo.

Pensado como uma ferramenta de comportamento colaborativo, assim como o Waze é para o trânsito, o Polícia Popular tem como objetivo levar mais segurança às pessoas através de um mapeamento dos casos de risco que acontecem a todo o momento nas cidades, e que podem ser intensificados durante as Olimpíadas.

Mais do que meramente informativo, o aplicativo tem como principal característica o “call to action”, convidando as pessoas a se engajarem em compartilhar ocorrências, informando e sendo informadas em tempo real. Dessa forma, há a possibilidade de identificar as precauções necessárias de acordo com o ocorrido na região em que se está. O Rio de Janeiro é a segunda cidade com maior número de downloads.

 “O Polícia Popular vai trazer maior segurança para as cidades, e o melhor é que ele não depende de órgãos públicos. A própria população, colaborando com informações e alertas, fará a diferença no dia a dia de milhões”, diz Alessandro Bertolotto, diretor comercial do aplicativo.

Como usar

Ao baixar o aplicativo, o usuário pode se conectar tanto com a sua conta no Facebook e efetuar o cadastro automaticamente, quanto utilizar algum outro e-mail. A partir daí ele tem acesso a um mapa que mostra, através de ícones, os alertas recebidos, que podem ser realizados de forma anônima. O usuário também consegue pesquisar um local específico para saber se há alertas naquela região, monitorando endereços de amigos e familiares, por exemplo.

Outra característica do app é o acesso rápido aos principais números de emergência, como o corpo de bombeiros e a polícia militar. Além disso, o aplicativo mostra quais são os hospitais e delegacias mais próximos da sua localização e, através do Waze, direciona as pessoas até esses locais.

Alertas

O botão de alerta do Polícia Popular pode ser ativado rapidamente e a qualquer momento. Quando acionadas, as ocorrências aparecem no mapa do aplicativo, indicando seu local exato e notificando as pessoas em tempo real do ocorrido. A seguir a lista dos alertas disponíveis:

  • Acidente
  • Suspeito
  • Roubo
  • Roubo de Veículo
  • Furto
  • Assédio
  • Pessoa Desaparecida
  • Animal Perdido
  • Motorista Embriagado
  • Drogas
  • Sequestro
  • Homicídio
  • Foragido

Você consegue baixar o Polícia Popular gratuitamente na Google Play Store (https://play.google.com/store) ou na App Store (www.appstore.com). (Flöter e Schauff)