Em tempos de combustível caro, trânsito lento e alta poluição, novidade chega a Goiânia como alternativa de deslocamento

A bicicleta, os patinetes e até mesmo os skates já são populares meios de transporte sustentáveis e que têm ganhado cada vez mais adesão dos goianienses. Outra alternativa barata e ambientalmente correta para quem busca evitar o tráfego intenso e os meios de transporte tradicionais de Goiânia é o monociclo elétrico. Quem passa pelo Setor Marista frequentemente vê executivos se locomovendo com o aparelho, que não tem banco nem guidão e funciona por meio de um sistema inteligente, que alterna a velocidade de acordo com a inclinação do corpo.

Novidade no País e na cidade, o monociclo foi adotado há 9 meses pela EBM Desenvolvimento Imobiliário com a finalidade de facilitar o deslocamento de funcionários da empresa, que tem escritórios na Alameda Ricardo Paranhos e na Avenida 136.  O diretor comercial da EBM, Rodrigo Meirelles, usa frequentemente o novo meio de transporte, que teve baixo investimento para a empresa e alto retorno financeiro, visto que os combustíveis estão cada vez mais caros, estacionar na região é difícil e os estacionamentos particulares custam em torno de R$ 8 a primeira hora. “Como temos de nos deslocar muito entre um escritório e outro, a empresa acabava gastando muito com estacionamento e com combustível e os monociclos se mostraram uma ótima solução, além de serem ambientalmente corretos e contribuírem para aliviar o trânsito pesado de Goiânia”, afirma.

Recarregável na tomada e com até duas 2 horas de autonomia, o monociclo é ágil e fácil de carregar, afirma o coordenador de comunicação da EBM, Ademar Moura. “O monociclo pode alcançar até 20 km por hora e pesa apenas 13 quilos, o que facilita na hora de transportá-lo de um lado para o outro. Costumo carregar na mochila mesmo”, afirma.

Um monociclo custa R$ 3,5 mil, em média, no Brasil, e pode ser encontrado no site da marca Two Dogs. No exterior, em países como Estados Unidos, o aparelho pode ser adquirido por US$ 450, em média. A bateria tem tempo de vida útil superior a mil recargas e o carregador ainda é bivolt, evitando preocupações de uso em qualquer região. ( Kasane Comunicação)