Virgínia Célia Marcelo, arquiteta e professora da Universidade Anhembi Morumbi, lista soluções eco eficientes para moradias 

 A preocupação com o meio ambiente tem aumentado cada vez mais na sociedade. O colapso dos recursos naturais e as constantes alterações climáticas mostram que é preciso adotar uma postura diferente com o meio ambiente. Com isso, a procura por uma vida mais sustentável é um ideal para muitas pessoas e, uma das formas de atingir este objetivo é pela casa em que habitamos. Segundo a Green Building Council, o mercado de construção sustentável no Brasil vem crescendo e, nos primeiros quatros meses do ano, foram registradas 73 certificações Leed (sistema de avaliação de construções), o maior número desde 2012.

Segundo Virgínia Célia Marcelo, docente do curso de Arquitetura e Urbanismo da Anhembi Morumbi, integrante da rede internacional de universidades Laureate, atualmente não é possível conceber um projeto de arquitetura sem pensar na sustentabilidade. “Não há como desenvolver um projeto que não leve em consideração o conforto térmico, a qualidade do ar, o reuso da água e o uso correto dos materiais de construção. Apesar de se atrelar a sustentabilidade com o meio ambiente, ela também está ligada à qualidade de vida da pessoa”, afirma a especialista.

Para transformar o lar em um lugar mais aconchegante e que respeite a natureza, não é preciso gastar muito. “Em geral, as pessoas acreditam que tudo o que é sustentável é mais caro, mas se o projeto estiver adequado às questões climáticas, como exemplo, alinhado com a orientação solar, com o aproveitamento da ventilação natural, com torneiras que limitam o uso de água, o gasto não é muito alto”, explica Virgínia.

A especialista garante ainda, que não é preciso realizar grandes reformas para atingir o ideal de uma casa mais sustentável. Mesmo para quem vive em uma residência alugada, onde reformar pode ser um empecilho, pequenas atitudes podem melhorar a eficiência da residência. Confira as dicas:

– Pinte as paredes com cores claras; Isso ajuda a refletir a luz natural dentro do ambiente;

– Escolha corretamente as esquadrias da casa (portas, janelas, portões, venezianas etc); Elas podem proporcionar ventilação permanente, reduzindo uso de ventilador e ar-condicionado;

– Instale equipamentos sanitários que limitam o uso da água; Essa atitude ajuda a preservar o recurso;

– Reaproveite a água da chuva para regas de jardim ou para uso nos sanitários;

– Substitua as lâmpadas incandescentes pelas de LED; Elas proporcionam melhor eficiência energética e redução no consumo de energia elétrica;

– Faça um planejamento de paisagismo para a casa; A técnica garante melhor uso dos espaços e maior conforto ao morador;

– Escolha móveis que sejam feitos com materiais de baixo impacto, como madeira de demolição e tintas naturais. (Luciane Polisel)