Em visita à fábrica da franquia goiana nesta sexta-feira, 28 de janeiro, o embaixador do Panamá convidou a franquia goiana abrir fábrica na zona portuária de alimentação que está sendo construída no País. Base será estratégica para a expansão da Fast Açaí, que já confirmou abertura de três lojas nos Estados Unidos em 2016 e vem sendo assediada por investidores chineses, portugueses, espanhóis, italianos e colombianos.

Depois de conquistar o Brasil, a franquia goiana Fast Açaí prepara-se para ampliar suas fronteiras e chegar os mercado internacional. Com 75 lojas abertas em 10 estados brasileiros em menos de dois anos, a franquia goiana formalizou contratos de abertura três lojas nos Estados Unidos neste início de ano e também planeja  alcançar países da Ásia, Europa e os vizinhos sul-americanos.

O projeto de expansão ganhou um reforço especial nesta sexta-feira (29/1), ao receber a visita do embaixador do Panamá Edwin Emilio Vergara na sede de sua fábrica em Aparecida de Goiânia. Ele pousou em solo goianiense com objetivo de atrair olhares de empresários para os potenciais panamenhos. Zona de passagem para Ásia, o maior mercado consumidor de alimentos no mundo, o Panamá tem interesses especiais em atrair as empresas de alimentos do Brasil, que é um dos maiores celeiros mundiais.

“O Brasil é um dos países mais importantes das Américas, entre outros fatores porque é produtor de alimentos. Criamos uma zona franca específica de alimentação e vamos inaugurar um porto voltado a indústrias de alimentação em Água Dulce”, disse e convidou a franquia a abrir fábrica na zona franca do Panamá. Durante a visita, ele conheceu os processos de fabricação do açaí express e demais produtos do menu de alimentação saudável. Degustou e rendeu elogios quanto ao sabor já conhecido por ele. Edwin costuma consumir de açaí na tigela.

“O açaí é uma fruta tropical que tem muitas qualidades. São fatores importantes de energia que podem se converter em remédio natural. Sobretudo, o fruto tem um sabor muito bom e, por esse, conjunto, nossa avaliação é de que um negócio que explora esse mercado tem muito futuro em relação ao mercado mundial, principalmente, se associado às nossas vantagens”, afirmou o embaixador.

Em reunião com a diretoria da Fast Açaí, o embaixador falou de geografia, logística e turismo, além de benefícios fiscais que já são realidade na terra caribenha que é reconhecida mundialmente pela sua posição e estrutura estratégica, baseada em portos, que beneficia o transporte de produtos para todos os pontos do globo com poucos gasto e tempo. No pacote de benefícios, incluiu também as instituições bancárias do País, que possuem linhas de crédito especiais para aporte. Edwin Vergara também deixou espaço aberto para abertura de lojas no Panamá, o que também estimula a geração de empregos no País.

Um dos anfitriões do embaixador, o diretor  comercial Frederico Soares Junqueira as perspectivas apresentadas são animadoras. “Nossa expectativa é de ter 10 unidades em funcionamento nos Estados Unidos até o fim do ano. Contar com uma base logística no Panamá é essencial para nossos planos de expansão e distribuição”.

Exportações

Outra medida importante para a internacionalização da marca é que a Fast Açaí passou a integrar em janeiro o Plano Nacional da Cultura Exportadora, um dia antes da visita do embaixador. O projeto do governo federal começou a cadastrar empresas que pretendem reforçar a presença nos demais países. O analista de comércio exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Diego Afonso de Castro, desembarcou em Goiás no dia 28 de janeiro para assinar a adesão dos sócios Maurício Lima; Belizário Júnior; Pedro Lima e Frederico Junqueira ao projeto. De acordo com Diego Afonso de Castro, as ações serão conjuntas entre o governo federal e as empresas que participarão do plano, afim de agilizar os documentos, as certidões e demais exigências burocráticas dos países importadores.

De acordo com o gerente de operações internacionais da Fast Açaí, Odilon Moura, o interesse pelo açaí vem aumentando mundo afora, onde é conhecido como uma super fruta por seus poderes nutricionais. Em paralelo, o crescimento acelerado da marca goiana vem despertando atenção de quem procura informações a respeito de negócios ligados a  alimentação saudável. “Com isto, estamos sendo procurados por investidores chineses, portugueses, espanhóis, italianos e colombianos, uma vez que possuímos uma operação estruturada como franquia”, diz.

O açaí express é o carro-chefe do menu da franquia. A fruta contém muita antocianina, um pigmento roxo do grupo dos flavonoides, substância química encontrada nas plantas que funciona como antioxidante. Entre seus benefícios, está o combate aos radicais livres, retardo ao envelhecimento e prevenção a doenças do coração e células cancerígenas. Vale ressaltar ainda que o açaí contém boa gordura, aquela que traz benefícios comparáveis ao azeite de oliva, além das fibras que auxiliam no funcionamento do intestino. Altamente energético, ele também garante o vigor necessário para as atividades de verão sem pesar no estômago.

Mas, além do açaí, a franquia oferece um amplo menu de alimentação saudável, o que inclui wraps, sanduíches e sucos naturais. “Por isso, esse também é um momento muito oportuno para a inauguração da nossa franquia nos Estados Unidos. Vamos atender este mercado  de alimentação saudável que está em pleno crescimento, entregando produtos saudáveis e saborosos”, sublinha outro diretor da franquia, Maurício Lima. (COMUNICAÇÃO SEM FRONTEIRAS)