Leite materno impacta a sustentabilidade e, claro, a redução da mortalidade infantil, vínculo mãe-bebê e no desenvolvimento da criança

 O Hospital Materno Infantil (HMI) realizará programação especial por ocasião da Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM). A abertura oficial do evento será quarta-feira (03 de agosto), às 10h30, no auditório da unidade, com a presença de convidados, da diretoria do Instituto de Gestão e Humanização (IGH) – organização social gestora do hospital e da unidade. Na edição deste ano, o tema mundial é “Amamentação: Uma chave para o Desenvolvimento Sustentável” mas, no Brasil, ele foi batizado de “Amamentação: bom para seu filho, bom para você e bom para o planeta”.

A programação ocorrerá ao longo de todo o dia. Pela manhã, as atividades começam às 10h30 com abertura oficial que incluirá bênção proferida pelo padre Rafael Magul e apresentação musical. Em seguida, às 12 horas, haverá uma palestra sobre Aleitamento Materno e, logo depois, às 14 horas, uma roda de conversa sobre Aleitamento Materno e Mamaço. Às 15 horas, os grupos Doutores Palhaço e Missão Sorriso entram em cena. O encerramento está agendado para as 16 horas, quando ocorrerá sorteio de brindes e lanches.

“Nosso objetivo é incentivar o aleitamento materno. É o melhor alimento nos primeiros seis meses”, explica a coordenadora do Banco de Leite Humano do HMI, Renata Leles. Após essa idade, a dieta ideal da criança seria a combinação de alimentos sólidos com a amamentação até os dois anos de idade, de acordo com a OMS.

Reflexos – Embora a relação entre meio ambiente e amamentação pareça desconexa, o aleitamento materno contribui para a proteção da natureza. O raciocínio é fácil de entender. Em todo o mundo, menos de 40% dos bebês são amamentados. Isso significa que 60% dessas crianças terão de ser alimentadas por fórmulas lácteas. O produto é comercializado em embalagens plásticas ou latas de alumínio que demoram cerca de 6 meses até 450 anos para se decomporem no meio ambiente.
Ainda que o processo de reciclagem de alumínio ocorra em 30 dias, aproximadamente, e que o Brasil seja líder mundial de reaproveitamento dessas latas, a situação do reaproveitamento de vários tipos de materiais ainda causa preocupação. Em muitos países, os governos estão se esforçando para encorajar e intensificar o trabalho. Na área nutricional e da saúde ligada ao desenvolvimento sustentável, o aleitamento materno também oferece benefícios como grande aliado para a saúde de crianças no mundo inteiro. O estímulo ao consumo do leite da mãe ainda promove o fim da fome, melhoria de problemas de subnutrição (desnutrição) e sobrenutrição (obesidade), garante vida saudável e bem-estar para a mãe e para o filho.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o leite materno é a forma mais eficiente de assegurar a saúde e a sobrevivência da criança. A agência da ONU revelou que 1,5 milhão de mortes de crianças antes dos cinco anos de idade poderiam ser evitadas com amamentação. O alimento ajuda a evitar pressão alta, diabetes do tipo 2 e outras doenças, e além de diminuir a chance de câncer de mama e ovário na mulher, reduz as chances de diarreia, infecções e problemas alérgicos no bebê.

Referência – O BLH da unidade recebe doação de leite materno de mães internadas no HMI ou de doadoras fora do hospital que ajuda de forma significativa a recuperação de bebês internados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e Unidades de Cuidados Especiais Neonatal (Ucin). Somente no período entre janeiro de 2014 a 11 de julho de 2016 nasceram 2.298 prematuros no hospital. No mês de julho, o setor, que tem 70 mães cadastradas, conseguiu captar 138 litros de leite materno sendo 30,5 litros apenas na penúltima semana do mês passado.

Além da doação, o BLH realiza orientações àquelas mães que estão com dificuldade na hora da amamentação ou familiares com dúvidas sobre o aleitamento materno.  Muitas das doadoras retiram e armazenam o leite em casa e a busca domiciliar é realizada semanalmente pelo Corpo de Bombeiros Militar de Goiás. A unidade disponibiliza todo o material que é preciso para que as mães façam a ordenha e estoquem o líquido, que só pode ser acondicionado em recipientes de vidro, o que evita contaminações, conserva os nutrientes e o sabor natural do leite.

O HMI é um dos 21 hospitais de Goiás que possuem o certificado do Unicef como Hospital Amigo da Criança por promover e estimular o aleitamento materno. O título, que é concedido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Unicef, foi renovado em 2012. Em julho deste ano, a unidade se tornou referência na atenção especializada ao bebê prematuro. (Bastidores)

Programação de abertura:

SEMANA MUNDIAL DE ALEITAMENTO MATERNO NO HMI

10h30

Abertura oficial

Bênção com proferida pelo padre Rafael Magul e apresentação musical

12h

Palestra sobre Aleitamento Materno

Profissional de Saúde

14h

Roda de Conversa sobre Aleitamento Materno e Mamaço

Equipe Multidisciplinar

15h

Momento lúdico

Doutores palhaço e missão sorriso

16h

Encerramento

Sorteio de brindes e lanches