Fabio Melo expõe a coleção de objetos inspirada em prédios Art Déco de Goiânia, durante vernissage da mostra Clandestino, que retrata o Movimento Armorial

foto09

O artista plástico Fabio Melo lança no próximo sábado (05), na Plus Galeria, o projeto Clandestino, que abrange uma exposição individual com esculturas e pinturas e também uma coleção de peças de design contemporâneo, como luminárias e vasos. A mostra tem 33 obras, aborda a estética do Movimento Armorial — surgido na década de 1970 sob a liderança do escritor Ariano Suassuna —, e fica em cartaz até 05 de fevereiro de 2016.

Esculturas e telas de diversas proporções, feitas com materiais como ferro, madeira e argila retratam, além da trajetória particular do artista, que já morou em várias cidades do mundo, vivências e referências do povo nordestino e temas políticos. “Trabalho unindo as minhas matérias primas por meio da estética adquirida nas minhas raízes, sobre forte influência do Armorial e de artistas populares como Vitalino e Manuel Eudócio e até do estilo barroco”, afirma Melo. 

Design
Pernambucano, natural de Caruaru, Melo também atua como designer. Há oito anos se mudou de Recife para Goiânia, e a exploração da cidade foi base da pesquisa que resultou na coleção de design do projeto. São oito itens, todos desenvolvidos em acrílico. Edifícios representativos da arquitetura Art Déco goianiense são o tema central.

Detalhes de prédios como a Torre do Relógio, na Avenida Goiás, o Tribunal Regional Eleitoral, o Teatro Goiânia, a Igreja Dom Bosco, o Colégio Santa Clara e a Estação Ferroviária serviram de inspiração. Até o Plano Diretor de 1933, com o desenho da Praça Cívica, faz parte do trabalho. “Quando cheguei aqui, eu andava de carro por todos os cantos, para me localizar, descobrir onde estavam as coisas de que precisava na cidade. Rapidamente me dei conta do volume do acervo Art Déco, tão bonito e tão pouco valorizado”, pontua o artista.

Segundo a curadora, Lydia Himmen, as peças tiveram papel decisivo no convite para Fabio expor na galeria que ela representa. “A produção artística dele é baseada em um movimento representativo da riqueza da cultura nordestina. Ao mesmo tempo, as peças de design reverenciam uma das características de Goiânia que mais admiramos na galeria. A presença dele em nosso espaço é também uma forma de contemplar a pluralidade criativa de um artista que valoriza nossa cidade”, explica a marchand.  (Marcellus Araújo)

SERVIÇO
O quê: Abertura da Exposição Clandestino, de Fabio Melo
Quando: Sábado (05), das 17h às 22h
Onde: Plus Galeria (Rua 114, nº 70, Setor Sul – Goiânia)
Entrada franca. Obras de arte, peças decorativas, comidas e bebidas à venda.