Orquestra Sinfônica de Goiânia “Amazônia – concerto para tímpanos e Orquestra”

(crédito: Orquestra Sinfônica de Goiânia)

Assessoria de Imprensa da ORQUESTRA

Hoje, dia 25 de novembro de 2021, às 20h no Teatro Goiânia, a Orquestra Sinfônica de Goiânia dá continuidade à sua Temporada de Concertos 2021 com uma temática especial. O concerto “Amazônia”, realizado em parceria com a Embaixada da França, trará convidados ilustres ao Teatro Goiânia, além de buscar em âmbito artístico a reflexão sobre importantes temas atuais, como a conservação da natureza e a união e herança cultural e social de dois grandes países: Brasil e França. A regência ficará a cargo do brasileiro Miguel Campos Neto, artista de carreira internacional que atualmente é o maestro da Orquestra Sinfônica do Teatro da Paz em Belém-PA; já o solista será Wesley Lopes, timpanista da Orquestra Sinfônica de Goiânia.

A obra principal do programa será “Amazônia, concerto para tímpanos e Orquestra”, do compositor francês Pierre Thilloy (nascido em 1970), que estará presente no evento. Completam o programa as seguintes obras: Ludus Pro Patria, da compositora francesa Augusta Holmes (1847-1903); Episódio Sinfônico, do compositor brasileiro Francisco Braga (1868-1945); as aberturas de ópera “Salvator Rosa” e “Il Guarany”, do compositor brasileiro Carlos Gomes (1836-1896).

O concerto será realizado no Teatro Goiânia, o mais tradicional espaço cultural da capital goiana, com acesso limitado do público condicionado aos protocolos sanitários vigentes, além das orientações próprias adotadas pelo Teatro Goiânia.

Esse concerto também faz parte da estratégia de retomada das atividades culturais presenciais da Prefeitura de Goiânia, determinada pelo secretário Zander Fábio e pelo prefeito Rogerio Cruz.

Para esse concerto, realizado em parceria com o Teatro Goiânia e Secretaria Estadual de Cultura, será admitida a entrada gratuita de até 430 pessoas, desde que cumpram os protocolos exigidos. O Teatro abrirá às 19h30 e a admissão será por ordem de chegada.

Os artistas e equipe envolvidos são testados quinzenalmente para a Covid-19 e seguem os protocolos sanitários locais e aqueles recomendados pelo Forum Brasileiro de Ópera, Dança e Música de Concerto (da qual a OSGO é signatária), com o objetivo de garantir a segurança dos mesmos e do público.

O concerto é uma excelente chance de apreciar um programa cultural de qualidade executado pela Orquestra sinfônica de Goiânia, que tem se destacado nacionalmente pela regularidade ousadia de suas propostas artísticas e pedagógicas. Nesse período de pandemia tem sido uma das mais atuantes nas plataformas digitais, juntamente com o Coro Sinfônico de Goiânia e também com os grupos artísticos de bolsistas a ela agregados: Coro Juvenil de Goiânia, Orquestra Jovem Joaquim Jayme e Banda Juvenil de Goiânia.

O Projeto Amazônia Tour é uma realização da Xanadu Association em parceria com a Embaixada da França no Brasil e com a Secretaria Municipal de Cultura para o concerto de Goiânia, e tem como objetivo unir música e conscientização ambiental. Para isso, diversas orquestras do país foram convidadas a realizar concertos sinfônicos, com repertório franco-brasileiro, usando a força da música para promover o diálogo sobre a conservação da Amazônia. Trata-se de uma visão de convivência cultural entre França e Brasil sobre um tema extremamente vital – a floresta amazônica –, por meio da produção de um trabalho sinfônico sobre este tema capaz de destacar as influências comuns entre os dois países. Buscou-se na concepção musical a inspiração tanto acadêmica quanto popular, com o intuito de que o público se aproprie deste corpo cultural comum a estes povos, reconhecendo elementos que os unam por meio da música.

Além do aspecto cultural, o projeto também é um testemunho vibrante da atenção permanente da comunidade internacional para com o Brasil, visto ultimamente como um país conturbado, cujos excessos de certas atividades econômicas fazem-nos temer por uma herança comum, tanto pelo aspecto de “pulmão verde” do planeta quanto pelo cuidado com seu povo, sobretudo para com os indígenas. Neste sentido, buscou-se uma parceria com a poetisa Marcia Wayna, da tribo Kambeba, no coração da Amazônia, e esta ofereceu a este projeto um poema sobre a beleza e a força da natureza e do Rio Amazonas na língua indígena tupi: um poema que reforça a noção de compartilhamento e tesouro comum aos nossos dois países, fazendo-nos ressoar e vibrar juntos, corpo e mente. Objetivos comuns entre Brasil e França estão representados em “Amazônia”: construir um futuro comum, estabelecendo pontes culturais, de proteção e respeito ao meio-ambiente, aos direitos sociais, aos povos e à casa comum.

Tags:

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS