O que eu vi e vivi em Pernambuco

Na orla de Boa Viagem

Por »Padu Prado para Patricia Finotti Opinião

Ao desembarcar no aeroporto de Recife para o carnaval no estado de Pernambuco, a energia e o calor daquele estado já fizeram morada no meu espírito de turista-folião de primeira viagem.

Percebi o quanto aquele povo era diferenciado já no saguão do aeroporto, quando fui recebido por um grupo de dançarinos de frevo e maracatu, ritmos típicos da região. Povo cortês, gentil e que e acolhe de forma que te faz sentir em casa.

O Carnaval de Recife tem sua abertura com a saída do maior bloco carnavalesco do mundo: o famoso Galo da Madrugada, que esse ano homenageou os 50 anos do genial Chico Science e o Manguebeat, no bairro do Recife Antigo. Apresentações de grupos percussivos, shows de artistas renomados espalhados pela capital pernambucana e o RECBEAT, o carnaval da juventude alternativa recifense, além de manifestações da cultura negra nordestina e seus afoxés.

Partindo de Recife, fui para Olinda, de ônibus com um valor acessível e mais cômodo para o turista. Vários blocos se concentram em frente à sede da Prefeitura de Olinda onde podemos encontrar o maior número de foliões fantasiados ou não, por metro quadrado que percorrem as suas ladeiras embalados pelo frevo e dividindo espaço com as dezenas de bonecos gigantes. A famosa rua 13 de maio, em Olinda, é o principal ponto de encontro de jovens e suas manifestações artísticas e culturais, em uma convivência pacífica e harmoniosa com famílias tradicionais e até mesmo aos novos modelos de família.

Finalizado o carnaval na quarta-feira de cinzas, resolvi me recompor antes de retornar à Goiânia, na paradisíaca Porto de Galinhas. Peguei outro ônibus em direção à Ipojuca, no interior de Pernambuco, onde se localiza a praia de Porto de Galinhas.

Fiquei encantado com a beleza e o acolhimento do pequeno município de Ipojuca e seu povo. A região possui piscinas de aguas claras e mornas formadas entre corais, além de estuários e mangues, areia branca e coqueirais. É uma visão surreal e divina! Me senti inserido em uma pintura clássica ou em um seriado norte-americano como Malibu. A energia que emana daquele lugar me trouxa uma paz de espírito que não saberia transcrever nessas linhas. A Pousada em que passei a noite, foi reservada pela internet, antecipadamente, pelo valor de R$ 59,90 incluso o café da manhã. Valor esse pago com satisfação, uma vez que o atendimento e a estrutura do local corresponderam à altura das minhas expectativas.

Considero essa a melhor viagem da minha vida. Não tenho nenhum ponto negativo para destacar, a não ser as dicas básicas de cuidados como evitar andar com celular a mostra, dinheiro em demasia, sozinho e distraído.

Já estou me programando para o carnaval de 2017 e, se me permitirem dar uma dica, façam o mesmo. Pernambuco é o que há de melhor no nordeste brasileiro! Não irão se arrepender!

Boa viagem!

11666075_10200842262294961_9033849309683094834_n»Padu Prado – Paulo Eduardo de Oliveira Prado é goianiense, tem 32 anos. Graduado em administração, trabalha com comunicação e redes sociais. As terças é debatedor do programa Opinião em Debate, do jornalista Rosenwal Ferreira, na rádio 730 AM. E o melhor! Sabe aproveitar bem que o nosso país tem a oferecer.