Conteúdo Comunicação / Jessica Orlandi

A série Música #EmCasaComSesc inaugurou uma nova fase: agora, as apresentações acontecem em lives transmitidas da casa dos músicos ou diretamente dos palcos das unidades do Sesc, ainda sem a presença de público e dentro de todos os protocolos de segurança. Com a mudança, o Sesc São Paulo passa a acolher shows com formações maiores, que contarão com os recursos do palco para a transmissão. O formato híbrido, com a permanência dos shows que acontecem no ambiente domiciliar, permite que a série continue oferecendo encontros com músicos de outros estados e com artistas em condições de maior vulnerabilidade ao coronavírus. Ao mesmo tempo, ao abrir as portas dos palcos do Sesc, dá-se oportunidade a mais profissionais, ajudando a estimular o setor cultural. As apresentações seguem no mesmo horário, 19h, no Instagram Sesc Ao Vivo e no YouTube Sesc São Paulo .

Terça-feira (17/11), dia do Instrumental Sesc Brasil no palco do Sesc Consolação, Olivinho Quarteto mostra composições para a sanfona genuinamente brasileira. O repertório do show inclui ritmos como baião, xote, arrasta-pé, choro e gafieira e traz obras de Olivinho – como “Metido a Besta”, “No Quintal de Zé Gino” e “Cheio de Munganga” – e composições em parceria com nomes como Zé Pitoco (“Ói no que Deu”) e Paulinho do Acordeon (“Sereno”), além de músicas de outros artistas. Natural de Garanhuns (PE), Olivinho é um legítimo representante da nova safra de sanfoneiros. Já tocou com Elba Ramalho, Dominguinhos, Anastácia, Bicho de Pé e Maria Alcina e, atualmente, acompanha Antônio Nóbrega. Com Olivinho (acordeon), Manoel Pacífico (triângulo e pandeiro), Dido Trajano (zabumba) e Lau Trajano (baixo).

Na quinta-feira (19/11), o compositor e violonista carioca Guinga se apresenta direto de sua casa, no Rio de Janeiro, com o espetáculo solo “Canções Necessárias”. Durante a live, o artista percorre obras de seus mais de 40 anos de carreira, destacando as canções feitas ao lado de parceiros como Aldir Blanc (“Simples e Absurdo” e “Catavento e Girassol”), Paulo César Pinheiro (“Senhorinha”), Thiago Amud (“Contenda”) e Zé Miguel Wisnik (“Canção Necessária”).

Sexta-feira (20/11), o Sesc Pinheiros é palco da live “Samba de Dandara Convida Graça Braga e Raquel Tobias”. Nesta roda de samba especialmente criada para celebrar o Dia da Consciência Negra, o Samba de Dandara recebe Graça Braga e Raquel Tobias, duas das mais importantes intérpretes e compositoras negras de São Paulo. No repertório, clássicos do samba e da MPB, como “Senhora Liberdade” (Nei Lopes/ Wilson Moreira), “Pra que Chorar” (Vinicius de Moraes e Baden Powell) e “As Forças da Natureza” (João Nogueira e Paulo César Pinheiro). O Samba de Dandara – formado por Laís Oliveira (cavaco), Heloise Ferreira (violão), Mariana Rhormens (flauta), Ana Lia Alves (percussão), Tati Salomão (percussão) e Kamilla Alcântara (percussão) – é um grupo de samba paulistano composto apenas por mulheres, que traz em seu trabalho a exaltação às sambistas, em especial às mulheres negras. O projeto carrega em seu nome o peso e a inspiração de Dandara, mulher negra, guerreira e referência histórica na luta contra a escravização.

No sábado (21/11), é a vez do grupo paulistano Premê – formado por Marcelo Galbetti (clarinete, violão, teclados e voz), Claus Petersen (sax, flautas e voz), Danilo Moraes (baixo, percussão, violão e voz), Mário Manga (violoncelo, bandolim, violão e voz) e Wandi Doratiotto (cavaquinho, violão e voz) – se apresentar no Teatro Paulo Autran, no Sesc Pinheiros. Fundado em 1976 por estudantes da USP com o nome “Premeditando o Breque”, o grupo lançou em 2019, pelo Selo Sesc, um box com toda a sua discografia, composta de seis álbuns. Para esta live, o Premê propõe um passeio pelas canções mais conhecidas de cada um desses discos, “São Paulo, São Paulo”, “Marcha da Kombi” e “Lava Rápido”.

Agenda de 17 a 21 de novembro, 19h

17/11, terça-feira: Olivinho Quarteto. Olivinho (acordeon), Manoel Pacífico (triângulo e pandeiro), Dido Trajano (zabumba) e Lau Trajano (baixo).

19/11, quinta-feira: Guinga (violão) em “Canções Necessárias” .

20/11, sexta-feira: “Samba de Dandara Convida Graça Braga e Raquel Tobias”.

Samba de Dandara – Laís Oliveira (cavaco), Heloise Ferreira (violão), Mariana Rhormens (flauta), Ana Lia Alves (percussão), Tati Salomão (percussão) e Kamilla Alcântara (percussão).

21/11, sábado: Premê – Marcelo Galbetti (clarinete, violão, teclados e voz), Claus Petersen (sax, flautas e voz), Danilo Moraes (baixo, percussão, violão e voz), Mário Manga (violoncelo, bandolim, violão e voz) e Wandi Doratiotto (cavaquinho, violão e voz).