Teatro Virtual desta semana tem espetáculos do Norte e do Sul do País

Vestido Queimado (Divulgação) e 2068 (Fabrício Simões / Divulgação)

Ascom Funarte

A agenda desta semana do Festival de Teatro Virtual da Funarte vai do Norte ao Sul do País. Fechando a etapa Norte, a amazonense Soufflé de Bodó Company apresenta Vestido Queimado, de classificação Livre, a partir das 18h30 de quinta-feira, 23 de setembro. No dia seguinte, começa a fase Sul, com a montagem 2068, indicada para maiores de 14 anos, da companhia gaúcha Máscara EnCena. Enquanto Vestido Queimado se inspira no teatro de papel e na animação para refletir sobre o cuidado com quem amamos; 2068 retrata a resiliência por meio do uso e manipulação de máscaras.

A programação do Festival de Teatro Virtual tem 25 apresentações teatrais, de grupos e companhias das cinco regiões do País, voltadas ao público adulto e infantil. Um novo projeto é divulgado todas as quintas e sextas, até o final de outubro, sempre a partir das 18h30, no canal da Funarte no YouTube. Os vídeos ficam disponíveis para acesso posterior, em: bit.ly/FestivaldeTeatroVirtual.

Teatro de papel e animação em Vestido Queimado

Do Amazonas, a Soufflé de Bodó Company apresenta Vestido Queimado, encerrando a agenda da região Norte no festival. Com 40 minutos de duração e livre para todos os públicos, o espetáculo busca refletir sobre o cuidado que devemos ter com as pessoas que amamos. O grupo utiliza as linguagens do teatro de papel e do cinema de animação na obra.

“O Vestido Queimado é um teatro de papel que flerta com teatro de animação. Pensá-lo para as plataformas digitais concretizou ideias que tivemos anteriormente, sobre gravá-lo pensando em animação”, conta Francis Madson, responsável pela direção, iluminação, figurino e dramaturgia, além de ter sido um dos produtores de arte da montagem.

De acordo com o artista, a participação no festival da Funarte contribuiu para o desenvolvimento de outros projetos da companhia em plataformas digitais. Madson comenta ainda sobre a influência do teatro on-line para a cena artística: “O teatro on-line não rivaliza com o teatro presencial. O teatro em plataformas digitais exigirá novos modelos de criação, que contribuirão significativamente à arte teatral e sua difusão, agora, na cultura digital”.

2068 narra um futuro por meio de máscaras

A Funarte inicia nesta semana a etapa Sul do Festival de Teatro Virtual. Para abrir a programação, o Máscara EnCena, do Rio Grande do Sul, traz a montagem 2068. Por meio da manipulação e uso de máscaras, o trabalho busca retratar a resiliência humana em um tempo futuro. O espetáculo tem 55 minutos de duração e é indicado a maiores de 14 anos.

“Diferentes pessoas estão confinadas em um espaço de privação das liberdades individuais, em que, para se manter vivo, é preciso se alimentar constantemente de esperança”, diz trecho da sinopse.

O grupo, iniciado em 2014, nasceu do desejo de investigar a potencialidade artística da máscara na cena contemporânea. Desde 2020, os integrantes vêm pesquisando a relação entre a máscara e a linguagem audiovisual.

Sobre o Festival de Teatro Virtual da Funarte

A programação é resultado do edital Prêmio Funarte Festival de Teatro Virtual 2020. O objetivo era incentivar montagens para apresentação virtual e contribuir para a manutenção de coletivos, grupos e companhias. “Ele foi elaborado em meio a pandemia como uma saída, uma alternativa de fomento à classe artística, contemplando não apenas os artistas, mas também os técnicos”, declara Renata Januzzi, coordenadora de Teatro e Ópera da Funarte. Com o festival, a Fundação busca ainda estimular a democratização e acessibilidade à linguagem artística.

O Teatro Virtual faz referência e homenagem a outro projeto da Funarte, a Série Seis e Meia, que promovia shows de música sempre às 18h30. A ideia é manter o compromisso de levar arte ao público com assiduidade, em um horário acessível, mesmo que à distância. Os vídeos, previamente gravados, ficam disponíveis para o público após a exibição.

Renata Januzzi ressalta a força histórica do teatro, que hoje enfrenta mais um desafio para se manter presente. “O teatro é uma arte milenar e vem sobrevivendo a diversas ameaças de extinção. Dentre elas, a tecnologia, que já foi uma dessas ameaças, surge agora como uma solução de fomento a uma linguagem tão artesanal.”

Programação do Teatro Virtual

O festival teve início em 5 de agosto com O Homem e a Mancha (SP), texto de Caio Fernando Abreu encenado pelo ator, professor, produtor e diretor Marcos Breda, com direção de Aimar Labaki e fotografia de Jacob Solitrenick. No dia seguinte, foi a vez de Zapato busca Sapato, da Trupe de Truões (MG), história para todas as idades sobre um “sapato recém-nascido”.

Na semana seguinte, foram exibidos A Casa de Farinha do Gonzagão e A Cripta de Poe, os dois de São Paulo, inspirados, respectivamente, no instrumentista, compositor e cantor Luiz Gonzaga e no escritor estadunidense Edgar Allan Poe.

Logo após, foram disponibilizados: Museu dos Meninos – Arqueologias do Futuro (RJ), de Maurício Lima; Ombela (PE), da companhia O Poste Soluções Luminosas; Salto (PE), do Bote de Teatro com a Janela Gestão de Projetos; Suelen, Nara, Ian (CE), do Pavilhão da Magnólia; Maria Firmina dos Reis, uma voz além do tempo (MA), do Núcleo Atmosfera de Dança Teatro; Épico – Casa Tomada (BA), do Território Sirius Teatro com a Cia Improviso Salvador; Mar Acá (RR), da Ass. Cult. Art. Locômbia Teatro de Andanças; A Borracheira (RO), da Associação Cultural O Imaginário; Marília Gabriela não vai mais morrer sozinha (AM), do Utc-4; e Gibi (TO), da Lamira Artes Cênicas.

Os vídeos ficam disponíveis em: bit.ly/FestivaldeTeatroVirtual. Na semana que vem, o festival continua com a agenda da região Sul. Em seguida, serão exibidos os espetáculos do Centro-Oeste do País.

Espetáculos desta semana:

Dia 23 de setembro | Quinta-feira
Vestido Queimado | AM

Soufflé De Bodó Company
Classificação Livre

Ficha técnica:
Direção, iluminação, figurino e dramaturgia: Francis Madson | Coordenador de Produção: Denis Carvalho | Elenco: Carol Santa Ana, Denis Carvalho, Klindson Cruz e Yago Reis | Direção de arte e ilustração: Eric Lima | Produção de arte: Carol Santa Ana, Denis Carvalho, Klindson Cruz, Francis Madson e Laury Gitana | Trilha sonora original: Yago Reis | Fotografia e Edição: Bruno Bastos.

Dia 24 de setembro | Sexta-feira
2068 | RS

Máscara EnCena
Classificação: 14 anos

Ficha técnica:
Concepção: Máscara EnCena | Direção: Liane Venturella | Dramaturgia: Máscara EnCena e Liane Venturella | Elenco: Alexandre Borin, Camila Vergara, Fábio Cuelli e Mariana Rosa | Trilha Sonora Original e Desenho de Som: Caio Amon | Iluminação e Operação de Luz: Fabiana Santos e Ricardo Vivian | Operação de Som: Vitório Oliveira Azevedo | Máscaras: Fábio Cuelli | Bonecos: Rita Spier | Figurinos: Liane Venturella | Costureira: Naray Pereira | Projeção: Mauricio Casiraghi | Direção de Produção: Camila Vergara | Produção: Máscara EnCena | Direção de Vídeo e Montagem: Caio Amon | Direção de Fotografia: Mauricio Casiraghi | Câmera: Deise Hauenstein, Jonas Figueiredo e Mauricio Casiraghi | Produção Audiovisual: Eroica_conteúdo | Audiodescrição (AD) e Legenda para Surdo e Ensurdecido (LSE): OVNI Acessibilidade.
 
Espetáculos já disponíveis:
bit.ly/FestivaldeTeatroVirtual

O Homem e a Mancha: 24 anos-luz | SP
Com o ator Marcos Breda e texto de Caio Fernando Abreu
Classificação: 12 anos

Zapato busca Sapato | MG
Com a Trupe dos Truões
Classificação Livre

A Casa de Farinha do Gonzagão | SP
Teatro-Baile Produções
Classificação: 10 anos

A Cripta de Poe | SP
Companhia Nova de Teatro

Museu dos Meninos – Arqueologias do Futuro | RJ
Espetáculo-performance de Mauricio Lima

Ombela | PE
O Poste Soluções Luminosas
Classificação: 18 anos

Salto | PE
Bote de Teatro / Janela Gestão de Projetos
Classificação: 16 anos

Suelen, Nara, Ian | CE
Grupo Pavilhão da Magnólia

Maria Firmina dos Reis, uma voz além do tempo | MA
Núcleo Atmosfera de Dança-Teatro

Épico – Casa Tomada | BA
Território Sirius Teatro / Cia Improviso Salvador
Mar Acá | RR
Ass. Cult. Art. Locômbia Teatro de Andanças

A Borracheira | RO
Associação Cultural O Imaginário

Marília Gabriela não vai mais morrer sozinha | AM
Utc-4
Classificação: 16 anos
Gibi | TO
Lamira Artes Cênicas
Classificação Livre

Próximos lançamentos:

Sul

Dia 30 de setembro | Manual para náufragos | RS
Tainah Dadda

Dia 1º de outubro | Pa Pe Lê – uma aventura de papel | SC
Téspis Cia. de Teatro, Música e Artes

Dia 7 de outubro | Habite-me teatro de máscaras, bonecos e dança | RS
CIA 4

Dia 8 de outubro | Limita-ações: as coisas que guardamos | SC
Dionísos Teatro
Centro-Oeste

Dia 14 de outubro | Bodas de Sangue | DF
Merun Filmes/Estupenda Trupe

Dia 15 de outubro | À Espera de Godot | DF
Diego Pereira Borges

Dia 21 de outubro | Estranhas | DF
Dephot Fotografia e Projetos Culturais

Dia 22 de outubro | A Moscou! Um Palimpsesto | DF
Roberto Felipe de Oliveira

Dia 28 de outubro | As 12 caixas de Hércules | DF
Voar Arte para Infância e Juventude

Tags:

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS