Zoológico de Goiânia reinaugura ilhas dos primatas no domingo, 28

(crédito: Gisele Silva)

Wilton Morais

Ao todo 14 primatas foram transferidos para as seis ilhas reconstruídas. Agora os animais contam com mais espaço e conforto

A Agência de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), por meio do Zoológico de Goiânia, vai reinaugurar, neste domingo, 28, às 10h, a reforma do lago dos macacos, onde ficam os maiores primatas sob responsabilidade do Parque Zoológico.  O lago passou por um trabalho de desassoreamento, revitalização e ampliação.  

Para abrigar os animais, a Agetul ampliou as seis ilhas existentes, a partir da obra de desassoreamento do lago e construiu equipamentos visando o bem-estar dos animais. As novas ilhas contêm plataformas, casinhas, postes com mangueiras de bombeiro e pontos de visualização, além do plantio de mudas de árvores do cerrado.

Foram transferidos para as novas ilhas, seis macacos-aranha-de-cara-branca, três macacos-aranha-de-cara-preta, dois babuínos-verdes, um babuíno-sagrado e dois macacos siamangs. A equipe de veterinários e biólogos do Zoológico realizou a soltura e os animais já curtem os novos espaços, que são maiores e mais confortáveis.  

Segundo o presidente da Agetul, Valdery Junior, foram investidos R$ 2 milhões na reforma do lago que foi, pela primeira vez, desassoreado. “Foi uma obra necessária. A situação do lago exigia o desassoreamento e aproveitamos para realizar melhorias nos espaços das ilhas, dando mais conforto e favorecendo o bem-estar dos animais”, informou Valdery Junior, que acompanhou a volta dos animais às ilhas.  

O prefeito de Goiânia Rogério Cruz destacou que a reforma é mais um sinal que os animais do Parque Zoológico desfrutam de espaços preparados para o bem-estar animal. “Nosso zoológico tem um papel fundamental na preservação de espécies. Esses novos espaços garantem aos primatas um ambiente de aconchego e muita diversão”, disse o prefeito.

Peixes

Para que a reforma fosse realizada, o Zoológico remanejou os animais temporariamente para um lago em outra parte do parque e, nesse processo, os agentes envolvidos na obra recolheram peixes que chegaram a pesar até 43 quilos. A transferência dos peixes para o segundo lago foi feita por funcionários da AGETUL, Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) e Escola de Veterinária da Universidade Federal de Goiás (UFG).  

Os peixes, alguns que viviam há décadas no lago, serão mantidos no Lago 2 do parque. Agora, o presidente da Agetul, Valdery Junior, informa que novas espécies nativas devem ser colocadas no lago reformado, em parceria com a Amma e a Escola de Veterinária da UFG. Ao todo, a Seinfra retirou mais de 600 caminhões de lama provenientes do desassoreamento do lago.

Tags:

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS